Exportações

Acordos comerciais têm dinamizado exportações agroalimentares da UE

acordos comerciais União Europeia

Foi esta semana apresentado pela Comissão Europeia um estudo sobre os efeitos dos acordos comerciais no setor agrícola da União Europeia. Os resultados mostram que, para além de dinamizar as exportações agroalimentares, os acordos comerciais da UE com o México, a Coreia do Sul e a Suíça têm contribuído para apoiar o emprego no setor.

Phil Hogan, Comissário Europeu para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, aproveitou a apresentação destes resultados para referir que “estes três acordos, por si só, permitiram aumentar as exportações de produtos agroalimentares da UE em mais de 1 milhar de milhões de euros e geraram um valor acrescentado no setor agroalimentar de 600 milhões de euros. Igualmente importante é o facto de este aumento das exportações ter apoiado milhares de postos de trabalho em toda a UE, a maior parte dos quais no setor agroalimentar, nomeadamente na produção agrícola primária. Estes números são uma prova clara de que acordos comerciais ambiciosos e equilibrados são bons para os setores alimentar e agrícola da Europa.”

O estudo agora apresentado revela que estes acordos comerciais têm também contribuído para um crescimento do comércio para todos os envolvidos, nomeadamente oferecendo aos consumidores e às empresas da União Europeia um melhor acesso aos produtos agroalimentares.

Para Cecilia Malmström, Comissária Europeia responsável pelo Comércio, “os acordos comerciais, quando bem feitos, são bons para os nossos agricultores e produtores de alimentos. Este estudo dá também um contributo importante quanto à forma como podemos continuar a eliminar burocracias desnecessárias e a ultrapassar os obstáculos com que nos deparamos para avançar com as nossas negociações comerciais.”

Por outro lado, o relatório indica que apesar de estes acordos terem impacto ao nível do aumento nas importações, estas têm tido pouco impacto na produção interna da UE. De acordo com o estudo, o acordo com o México, por exemplo, resultou num aumento de 105 milhões de euros nas exportações agroalimentares da UE em 2013, três anos após ambas as partes terem procedido à eliminação de todos os obstáculos às trocas comerciais.

Já o acordo de Comércio Livre entre a União Europeia e a Coreia do Sul resultou num aumento das exportações de produtos agroalimentares da UE de 439 milhões de euros em 2015 e o acordo comercial entre a UE e a Suíça resultou já num aumento de 532 milhões de euros nas exportações de produtos agroalimentares da UE em 2010, três anos após a sua plena aplicação.

Exportações agroalimentares da UE chegam aos 130 mil M€

Todos estes acordos contribuíram para que 2016 fosse um ano recorde para as exportações agroalimentares da comunidade europeia, que atingiram um valor de 130,7 mil milhões de euros, um crescimento de 1,7 mil milhões de euros face a 2015.

Os maiores crescimentos foram para mercados como os EUA (1,26 mil milhões de euros) e China (1,06 mil milhões de euros).