Vinha e Vinho

Exportações dos vinhos do Alentejo crescem 12% em 2017

Exportações dos vinhos do Alentejo crescem 12% em 2017

As exportações dos vinhos do Alentejo registaram um crescimento de 11,9% em 2017, atingindo um valor total de 65 milhões de euros. De acordo com os dados divulgados esta quarta-feira (7 de março) pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), o vinho DOC Alentejo registou um crescimento nas exportações de 26%.

“A quantidade exportada cresceu 2,3% devido à subida de 11% nas vendas de DOC, enquanto o Regional teve uma diminuição de 0,1% – o único indicador em 2017 que não variou de forma positiva. Com o preço a subir 9,4%, os importadores internacionais pagaram em média 2,43 euros por garrafa de vinho do Alentejo, um preço superior à média nacional de 2,11 euros por garrafa nas categorias DOC/Regional”, explica a CVRA.

Em 2017, os países que mais importaram vinhos do Alentejo foram Angola, Brasil, Estados Unidos da América, Suíça e China, arrecadando 59% do total do valor exportado e 50% da quantidade.

Para Francisco Mateus, presidente da CVRA, “valorizamos muito o crescimento do preço médio na exportação, pois demonstra o reconhecimento da qualidade dos vinhos e a disposição dos importadores e consumidores internacionais para pagar mais por cada garrafa de vinho da região do Alentejo. No ano de 2017, dos 25 principais mercados o preço médio aumentou em 23 deles. Apenas Macau e Espanha tiveram uma diminuição”.

2017 “foi um ano com um desempenho notável ao nível do valor da exportação, em que os vinhos DOC Alentejo, com as suas oito sub-regiões, deram um grande impulso para o crescimento. Da quantidade de DOC exportado, 26% teve um preço médio superior a 4,00 euros por garrafa. Em 2016 a percentagem era de 16%. Também houve melhorias no vinho Regional, que é exportado em maior volume. As vendas a preço abaixo de 1,99 euros/garrafa perderam peso no total e quem ganhou foram os Regionais com preços mais elevados. Esta é a trajetória necessária na exportação dos vinhos do Alentejo, e também das outras regiões, pois valoriza o produto vinho, dá-nos notoriedade e ajuda a conquistar a atenção de importadores e consumidores. Portugal está a ganhar destaque e a região representou 21% na exportação dos vinhos DOC e Regional, pelo que a nossa aposta é cada vez maior nos mercados externos e no reconhecimento internacional do Alentejo como região de produção de vinhos de qualidade”, acrescenta Francisco Mateus.