Agroindústria

Fruut quer duplicar capacidade de produção

Fruut vai ampliar unidade de produção

Em quatro anos de atividade, a Fruut aproveitou cerca de 15 milhões de ‘fruta feia’, correspondentes a 2500 toneladas. Agora, a empresa prepara-se para duplicar a sua capacidade de produção, das atuais 7,7 milhões de embalagens de 20 gramas por ano, graças a uma ampliação na sua unidade de produção em Viseu.

“Se resumíssemos tudo a números, como parece ser a tendência atual, sintetizaríamos a história da Fruut nos seguintes: 4 anos de existência. 1 único ingrediente. 100% natural. Zero desperdício. 5 mercados. 15 milhões, ou seja, 2500 toneladas de fruta aproveitada. 5 milhões de embalagens vendidas. 25 colaboradores, 19 dos quais no interior do país. São tantos e tão expressivos que se torna difícil fixar todos. Por isso, fixemo-nos apenas num: uma história de sucesso”, conta a empresa em comunicado.

Esta história conta-se desde 2012, quando Filipe Simões conheceu a Sociedade Agrícola Quinta do Vilar, do outro cofundador Henrique Menezes, cujo principal negócio é a comercialização de fruta fresca, mas que desenvolvia paralelamente, ainda que sem expressão em termos de vendas, a desidratação de fruta. Tornaram-se sócios e fundaram a Frueat, com o objetivo de lançar a marca Fruut.

 “A nossa principal inspiração foi criar algo que transcendesse o produto. Queríamos deixar o nosso contributo para um mundo melhor, com hábitos alimentares mais saudáveis, sustentabilidade e uma agricultura mais dinâmica”, revela Filipe Simões, CEO da Frueat.

Atualmente, a Fruut está já em cinco mercados e este ano prevê faturar cerca de 2 milhões de euros, mais 45,7% do que em 2016. “O negócio está em franco crescimento. Sentimos que hoje fazemos parte do dia-a-dia de muitos portugueses e não só”, afirma Filipe Simões.

Para suportar este crescimento, a empresa vai ampliar a sua unidade industrial com recurso a “tecnologia de ponta e modernos equipamentos e laboratório”, um projeto que deverá estar concluído em junho de 2018 e que irá criar cinco novos postos de trabalho.