Cereais

Nacional lança massas com trigo 100% alentejano

Nacional lança massas com trigo 100% alentejano

Nacional lançou na quinta-feira (21 de junho) uma edição limitada de massas 100% feitas com trigo duro alentejano. As massas têm formatos Linguine e Gemelli e resultam de um projeto com 20 anos, numa parceria entre os produtores de cereais do Alentejo, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária e o Instituto Politécnico de Beja. A rastreabilidade do produto final é assegurada pela Certis, um organismo independente de controle.

O projeto é antigo mas a decisão da marca da Nacional em avançar foi tomada há “três ou quatro meses”, quando tiveram a “garantia, por parte dos produtores, da qualidade e quantidade do trigo disponível, bem como a certificação da Certis”, explica João Paulo Rocha, diretor de Marketing da Cerealis, em declarações à VIDA RURAL durante a cerimónia de lançamento que decorreu na terça-feira, 19 de Junho, no Convento do Beato, em Lisboa.

Os produtos estarão presentes em “praticamente todos os pontos de venda” e tiveram, segundo o marketeer, “uma enorme adesão” porque, destaca, “também eles sabem que têm um importante papel na promoção da agricultura nacional e sustentável, bem como das marcas portuguesas”. “Eles sabem que os seus consumidores aderem muito a estes conceitos”, sublinha.

Após o fim desta edição limitada de mais de 500 toneladas de massa, a marca irá avaliar o sucesso. A medida, explica João Paulo Rocha é o entusiasmo dos clientes: “se a adesão dos consumidores for tão grande quanto a dos clientes” poderão transformar a edição limitada num produto permanente.

Durante a apresentação, Fernando Carpinteiro Albino, representante da Cereais do Alentejo sublinhou a necessidade de aumentar o número de barragens e charcas, queixando-se da burocracia necessária para avançar com as referidas construções, ao mesmo tempo que pedia ao Ministro da Agricultura para entregar o recado ao congénere do Ambiente. Em declarações à comunicação social, o Ministro da Agricultura Capoulas Santos não comentou o lamento do orador anterior, mas garantiu que estão a “chegar 500 milhões de euros” para apoiar o regadio.