Hortofrutícolas

Fruta em tubo: a nova alternativa aos snacks prejudiciais para a saúde

Fruta em tubo: a nova alternativa aos snacks prejudiciais para a saúde

Dois anos de investigação e desenvolvimento deram origem a um produto inovador que começa agora a chegar a vários países europeus para dar uma ‘machadada’ nos snacks prejudiciais para a saúde: fruta em tubos.

O conceito é da espanhola Fru&tube e foi pensado para ser comercializado no retalho, mas começa agora a ser introduzido em vending machines para ser consumido ‘on-the-go’. As embalagens, semelhantes aos tubos das bolas de ténis, contêm fruta selecionada e lavada que para além de garantirem um transporte fácil ajudam a manter a fruta intacta até chegar às mãos do consumidor.

De acordo com o site Fresh Plaza, o objetivo da marca é encorajar o consumo de fruta como alternativa aos snacks prejudiciais para a saúde que frequentemente são vendidos nas vending machines, como os chocolates, as batatas fritas e outros alimentos processados.

Carlos Méndez, o responsável por estes tubos de fruta, refere que “em muitos casos, as pessoas não consomem fruta pela inconveniência de terem que comprar e de levar. É surpreendente ver como oferecer a fruta da mesma forma que se oferecem os snacks menos saudáveis, com uma embalagem que facilita o seu consumo e transporte, leva a um aumento considerável do consumo.”

David vs Golias?

O principal objetivo da nova marca passa por oferecer uma opção alimentar saudável ‘on-the-go’ aos consumidores que habitualmente optam por escolhas prejudiciais por falta de oferta ou tempo.

O fundador da marca sublinha que “competimos contra snacks clássicos que são prejudiciais para a saúde, como chocolates, por isso é essencial oferecer fruta com imenso sabor para que o consumidor volte a escolher a fruta. Para além disso, é importante que os preços sejam atrativos para os consumidores. Muitos distribuidores mostraram interesse no conceito para vender em mercados gourmet. O meu objetivo nunca foi vender um produto caro, mas sim encorajar o consumo de fruta por toda a gente, independentemente da idade e do poder de compra”.