Regadio

CAP pede “política agrícola para a água”

CAP pede "política agrícola para a água"

O Presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Eduardo Oliveira e Sousa, criticou o “discurso redutor” do ministro do Ambiente relativamente ao uso da água na agricultura e pediu uma “política agrícola para a água”. Estas declarações foram proferidas durante o Dia de Campo InovMilho, que decorreu em Coruche, perante o ministro da Agricultura.

De acordo com a Lusa, Oliveira e Sousa afirmou ter ouvido “com espanto” o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, afirmar que “se pretende diminuir os títulos de utilização, diminuir as suas autorizações, dando a entender que se está a usar água a mais”.

“E sobre mais barragens? Nem pensar, governem-se com o que há. Foram as palavras que ouvi. Querem mais regadio? Reguem com menos água. Senhor ministro, este discurso redutor tem de ser contrariado, a começar pelo seu. O regadio, como aqui se vê, é a única forma de enfrentarmos as alterações climáticas e permanecermos nos campos”, disse ainda.

O Presidente da CAP sublinhou também que espera “não ter ouvido bem”, referindo-se aos rumores “de que o custo de utilização” de águas recicladas “será cobrado aos agricultores e que será até obrigatório o seu uso, caso ela seja uma alternativa mesmo que outra origem esteja disponível e a preço mais reduzido”.

Eduardo Oliveira e Sousa terminou pedindo ao Governo “ação” e que dê a conhecer a sua estratégia para a água e para a agricultura, uma vez que considera plano nacional de regadios “curto”.