Regadio

Fenareg alerta para campanha de rega “preocupante”

Ligação entre barragens nos planos do Governo

O ano de 2018 deverá ser “preocupante” devido às “escassas disponibilidades de água”. O alerta é dado pela Federação Nacional de Regantes de Portugal (Fenareg), que pede planeamento e ações que deem resposta ao problema da falta de água no país.

“Os regantes estão preocupados com o impacto que a falta de água poderá ter na produção alimentar e as suas consequências sociais, económicas e ambientais”, refere a Fenareg em comunicado, pedindo ainda ação “nos locais onde ainda será possível minimizar a situação.”

O Governo anunciou na passada semana um investimento de 3,5 milhões de euros para a limpeza de sedimentos em oito barragens nacionais, uma medida que, de acordo com a Fenareg, é “eminentemente política” e não se deverá esgotar aqui, “pois existem prioridades, como o alteamento de mais barragens e aumentar os volumes  transferidos de Alqueva para melhorar a qualidade da água das albufeiras, de forma direta, ao mesmo tempo que permite responder à falta de água para os diversos fins.”

“A título de exemplo, o investimento anunciado seria o equivalente ao custo de ‘encher’ todas as albufeiras dos perímetros confinantes ligados a Alqueva e para as quais o atual preço de Alqueva é incomportável. A Fenareg apela para medidas que respondam às prioridades imediatas da falta de água”, conclui a associação.