Mercosul pode ser o sustento alimentar do mundo em 2050

Mercosul pode ser o sustento alimentar do mundo em 2050

Os países do Mercosul vão registar um grande crescimento em produção alimentar nos próximos anos, segundo a consultora Bain & Company. A procura mundial poderá chegar aos 3,5 mil milhões de toneladas em 2050.

A procura mundial por milho, arroz, trigo, açúcar e soja deverá ser suprida, principalmente, pelos países do Mercosul, que vão registar grandes saltos de produção. A procura destes alimentos deverá passar de 2,4 mil milhões de toneladas, estimado em 2010, para cerca de 3,5 em 2050. Este volume deve atender ao aumento da população mundial, que se prevê atingir os 8,9 mil milhões de habitantes em 40 anos. “De forma a dar resposta a esta forte procura, os países do Mercosul deverão preparar-se para desafios logísticos e técnicos, além de terem de investir no desenvolvimento de sementes e técnicas de plantio ainda mais adequadas a climas secos e quentes”, refere Fernando Martins, sócio da Bain & Company.

De acordo com aquela previsão, as empresas de capital doméstico e internacional têm apostado na agricultura brasileira e na valorização das terras e não somente no lucro das culturas, “abrindo espaço para o chamado fenómeno da produção agrícola corporativa”.