Agricultura

Municípios querem charcas e barragens para combater seca

Municípios querem charcas e barragens para combater seca

O presidente da Câmara Municipal de Bragança quer construir 39 charcas em todas as freguesias do concelho e três barragens com o objetivo de combater os períodos de seca. Mais a Sul, são os agricultores do distrito de Faro que pretendem ver construída uma barragem que lhes permita responder aos longos períodos de seca que o país tem vivido e que afetam a produção da região.

Hernâni Dias, autarca de Bragança, anunciou esta semana um plano ambicioso: a vontade de construir 39 charcas e ainda três barragens que garantam o armazenamento de água na região e que permitam evitar problemas em longos períodos de seca como que estamos a viver este ano no país.

“É um objetivo muito ambicioso, estamos a falar de 39 charcas, só temos quatro anos, significa que teríamos de fazer dez charcas por ano, no mínimo, o que pode ser demasiadamente ambicioso, mas esse é o nosso objetivo”, revelou à Lusa.

De acordo com Hernâni Dias, estas barragens seriam “para rega, mas não significa que no futuro não possam vir a ser utilizadas para abastecimento da população”.

No Sul do país, são os agricultores da região de Faro quem defende a construção de uma barragem para solucionar os períodos de seca que estão a afetar a agricultura da região algarvia.

Valter Luz, vice-presidente da Cumeadas – Associação de Produtores do Nordeste Algarvio, disse recentemente em declarações à Lusa que “estamos numa situação de seca severa, sem água para as culturas e sem pastagens para os animais, daí a necessidade da construção de uma barragem com ligação à de Odeleite e que, além de servir para o consumo humano, daria a possibilidade aos agricultores de fazerem regadio.”

“A construção de uma barragem é a melhor solução. As ribeiras e as pequenas charcas que foram feitas estão secas e, neste momento, as pessoas não têm alimento nem água para os animais e até as culturas de sequeiro estão em risco”, acrescenta.

O responsável diz ainda que o nordeste algarvio tem sido esquecido pelo Governo e que é precisa mais “vontade política para olhar para o problema dos agricultores e mudar as coisas, sob pena de a zona se converter num deserto”.

O presidente da Câmara Municipal de Alcoutim, Osvaldo Gonçalves, partilha desta opinião e refere que a construção de uma barragem é a melhor solução para resolver a falta de água.

“Até os exploradores de zonas turísticas de caça cinegética estão a dar água aos animais, alimentando as charcas com recurso a autotanques, à semelhança do que se está a fazer em Viseu (…) No fundo o interior tem uma área significativa, com bons afluentes com caudais de água significativos, nomeadamente as ribeiras do Vascão e da Foupana, e que servirão certamente para fazer obras de retenção de água e resolver o problema da seca no interior e algum perímetro de rega (…) O nordeste é um contribuinte para a água que se gasta no Algarve e tem zero de perímetro de rega”, conclui.