Tecnologia e Máquinas Agrícolas

Nova tecnologia permite otimizar em 10% produção de tomate

Nova tecnologia permite otimizar em 10% produção de tomate

A partir de 2018 os produtores de tomate vão dispor de uma nova tecnologia –  NEC CropScope – desenvolvida em parceria pela NEC e pela Kagome, que através de recomendações de rega e fertilização (azoto) permite aumentar a produção em cerca de 10%.

A apresentação mundial desta tecnologia teve lugar no passado dia 25 de agosto, na Herdade do Caldas, Vila Franca de Xira, local em que está instalado o campo de ensaio de tomate, com seis hectares, onde nos últimos três anos NEC e a Kagome – que detém desde 2007 a Holding da Indústria Transformadora do Tomate (HIT, que agrega a FIT e a Italagro) – têm vindo a testar esta tecnologia.

João Subtil, responsável da Kagome pelo ensaio de campo afirmou que “esperamos uma produção de 130/140 ton/ha”, que compara com uma média de produção de 84 ton/ha em Portugal, segundo informação do diretor-geral da NEC Portugal.

As principais novidades desta solução, reconhece João Paulo Fernandes em declarações à VIDA RURAL, são “as previsões de produção e de data de colheita”, que ajudam não só o produtor e as suas organizações mas também a indústria, salientando durante a apresentação que o objetivo é “otimizar a produção e os seus custos, aumentando de forma significativa a produtividade média dos produtores de tomate, mantendo a qualidade do produto”.

O responsável da NEC Portugal adiantou ainda que a solução é integrável com outros equipamentos que o produtor já tenha instalados (sondas de humidade, estações meteorológicas, etc.) e que embora o preço ainda esteja em estudo “será um preço por hectare de produção e terá em conta os custos de exploração da cultura”.

Campos virtuais

A solução tecnológica usa tecnologias de IA (Inteligência Artificial) e IoT (Internet das Coisas) e o maneio da cultura é realizado com base em recomendações produzidas através de simulações efetuadas com recurso a Inteligência.

A NEC CropScope cria campos virtuais através de dados meteorológicos, de solo e de vegetação, obtidos através de sensores e, também, de dados relativos às atividades de campo efetuadas pelo produtor, tais como níveis de irrigação e utilização de fertilizantes (para já só azoto). Depois cria simulações de crescimento, com as quais faculta ao produtor informações customizadas em termos de cultivo do campo, tais como recomendação das quantidades de água e azoto que devem ser aplicadas, predição da produção final do campo ou da data mais apropriada para a colheita, entre outras.

A combinação de condições de produção e qualidade dos recursos humanos disponíveis em termos técnicos e científicos, levou a que Portugal fosse o país escolhido pela Kagome e pela NEC para o desenvolvimento e teste desta tecnologia.

A partir de 2018, a NEC irá comercializar esta solução a produtores de tomate em Portugal e noutros países. A empresa irá também facultar a empresas de processamento de tomate estimativas tanto de produção como da melhor data para a colheita, e irá ainda levar a cabo um teste visando a melhoria da eficiência no processamento de tomate.