Azeite

Produção nacional de azeite deverá ter caído 31% na campanha de 2016-2017

Espanhóis usam inteligência artificial para prever pragas de azeitona-da-oliveira

75,2 mil toneladas, foi quanto produziram na campanha de 2016-2017 os produtores nacionais de azeite. De acordo com as estimativas do Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral (GPP), este valor representa uma quebra de 31% face à campanha anterior e resulta da extrapolação do volume de azeite extraído por 158 lagares de amostra.

A campanha de 2015-2016, que atingiu um total de 109,1 mil toneladas, tinha sido a mais elevada das últimas 100 campanhas. Segundo o GPP, a diminuição de produção registada na última campanha “resultou, essencialmente, da irregularidade meteorológica ao longo do ciclo olivícola. Além disto, o ano olivícola foi de contrassafra nos olivais de sequeiro. Estes fatores provocaram quebra na quantidade total de azeitona produzida e atraso na respetiva maturação e colheita, com diminuição do rendimento médio da mesma, em relação à campanha anterior: a quantidade de azeitona laborada nos lagares diminuiu cerca de 27% e o seu rendimento médio em azeite diminuiu 6%, passando de 15,2% para 14,4%.”

Por outro lado, os dados mostram que a região do Alentejo foi responsável por cerca de 75% da produção nacional de azeite, mas a região Norte registou o mais alto rendimento da azeitona laborada (16%) e a menor diminuição no volume de azeite produzido (-16,5%), em relação à campanha anterior.

Os resultados do inquérito aos industriais de azeitona de mesa na campanha 2016-2017 revelam ainda que o volume de produção de azeitona para conserva deverá chegar às 23,7 mil toneladas, o que representa um aumento de 14% face à campanha anterior.