Hortofrutícolas

Quarta revolução industrial “já chegou ao setor da Horticultura”

Quarta revolução industrial “já chegou ao setor da Horticultura”

O I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura (CLBHort2017) realizou-se entre os dias 1 e 4 de novembro, no Centro de Congressos do ISCTE, em Lisboa, reunindo mais de 250 cientistas e empresários focados na inovação do setor. No final, os profissionais chegaram à conclusão que já não é possível ignorar a importância das tecnologias, sobretudo agora que “a quarta revolução industrial já chegou ao setor da Horticultura”.

O CLBHort2017 contou com quatro sessões plenárias, oito mesas redondas, dez apresentações orais, três workshops (uma prova de vinhos, uma prova azeites e uma sessão sobre sistemas de controlo inteligente do clima da estufa) e duas visitas técnicas (Alentejo e Oeste).

“O modelo escolhido para o CLBHort2017, com a participação de empresários líderes de Portugal e Brasil, em plenárias e mesas redondas, colocou em perspetiva a forma como estão a inovar nos seus negócios e contribuiu para aproximar investigadores e empresários lusófonos, que em conjunto devem encontram soluções para os principais desafios da Horticultura, aumentando a sua competitividade a nível internacional. Consideramos que este evento foi um sucesso”, afirma António Calado, presidente do CLBHort2017.

Durante a iniciativa, a Inteligência artificial e a robótica na horticultura estiveram em destaque, com exemplos de empresas como a Sogrape ou a Herdade do Esporão a serem apresentados. A Sogrape usa informação recolhida por 20 estação meteorológicas, imagens de satélite do índice da vegetação das videiras, entre outras ferramentas, que lhe permitem tratar cada talhão de vinha, ou até cada planta, de forma personalizada, com poupanças de 30% no gasto da água e um aumento da qualidade das uvas usadas em vinhos topo de gama. A Herdade do Esporão, por sua vez, que produz centenas de hectares de vinha no Alentejo em Modo de Produção Biológico, usa sondas de humidade de solo e modelos de previsão de pragas e doenças, caminhando para a total automatização do sistema de rega. “A nossa ambição é eliminar o elemento humano na programação da rega. Em alguns anos o nosso sistema de rega será totalmente automatizado, integrando sensores e inteligência artificial”, sublinha Rui Flores, responsável de rega no Esporão.

Promover o consumo de frutas e legumes é “desafio com várias frentes”

O evento serviu ainda para debater a importância de promover o consumo de hortofrutícolas. De acordo com os profissionais do setor, “nos pontos de venda a comunicação deve ser feita por mensagens simples que cativem e envolvam o consumidor, por outro lado, as parcerias com chefs de cozinha, que integrem estes produtos nos seus menus, é essencial”.

“Aproveitando a tendência urbana de cuidar do corpo e de comer saudável, é essencial envolver instituições desportivas na promoção do consumo de frutas e hortaliças ou ainda promover o consumo junto de crianças e jovens e do segmento sénior da população, cada vez mais numerosa à medida que aumenta a esperança média de vida”, refere a organização do CLBHort2017.