Sustentabilidade

The Body Shop quer duplicar programa de comércio justo até 2020

Amêndoa de Alicante - The Body Shop - Vida Rural

A celebrar o trigésimo aniversário do lançamento do programa The Body Shop – Comércio com as Comunidades, a marca anunciou que pretende duplicar o programa até ao ano de 2020. O programa da The Body Shop já conseguiu, até à data, beneficiar 20 000 pessoas, em 22 países de todo o mundo.

Anita Roddick, fundadora da The Body Shop e a responsável pela criação deste programa, acreditava que a marca deveria oferecer produtos inspirados na natureza, em linha com os três principais objetivos do programa Comércio com as Comunidades: transformar as comunidades marginalizadas, preservar as culturas tradicionais e os métodos agrícolas e promover a sustentabilidade agrícola que desafia o status quo, incluindo o uso excessivo de fertilizantes ou pesticidas, salários baixos e práticas não sustentáveis que provocam a perda de habitats e más condições de trabalho.

Como parte do seu compromisso, a marca comprometeu-se a duplicar o número de ingredientes provenientes do Comércio com as Comunidades de 19 para 40 até 2020, um objetivo que já está a ser concretizado. De acordo com a marca, esta meta permitirá que mais de 40 000 pessoas economicamente vulneráveis tenham acesso a um emprego.

Neste âmbito, a marca irá acrescentar ao longo de 2017 quatro novos ingredientes à família Comércio com as Comunidades: o Óleo de Amêndoas, proveniente da região de Alicante, em Espanha; a Essência de Rosa Britânica, obtida de forma ecológica em Herefordshire, Inglaterra; o Óleo de Semente de Manga, da Índia; e ainda o Puré de Banana do Equador.

Paralelamente, a The Body Shop está também a desenvolver parcerias com comunidades locais situadas em hotspots de biodiversidade. O objetivo é proteger habitats ameaçados e comunidades locais que deles dependem.

Para Will Stephens, Head of Sustainable Sourcing da The Body Shop, “o Comércio com as Comunidades faz parte do ADN da The Body Shop e não seríamos a empresa que somos atualmente sem ele. Como parte do nosso Compromisso Enrich Not Exploit™ e o que perspetivamos para o futuro, o Comércio com as Comunidades vai crescer em tamanho e impacto. É um exemplo notável de como podemos desafiar as normas que regem as indústrias e orgulhamo-nos do que alcançámos nos últimos 30 anos. Que venham mais 30 anos deste programa que muda vidas!”