Quantcast
Sustentabilidade

Consórcio quer futuro digital, inteligente e sustentável no agroalimentar

Consórcio agroalimentar

Um consórcio de 11 entidades (entre as quais, a CAP e a FIPA) quer criar um Pólo de Inovação Digital em Portugal, designado FARM2FORK_DIH, para promover um futuro digital, inteligente e sustentável para toda a cadeira produtiva agroalimentar. Para tal, o consorcio submeteu uma candidatura à Rede de Polos de Inovação Digital – da responsabilidade da Portugal Digital, Direção-Geral das Atividades Económicas, IAPMEI e ANI.

O FARM2FORK_DIH “representa uma abordagem 360º à modernização e digitalização” dos setores agrícolas e agroalimentar. Em comunicado, o consórcio revela que o projeto “pretende produzir a mudança necessária em toda a cadeia de valor agroalimentar – da produção agrícola, à indústria agroalimentar e à distribuição – através da atuação junto do tecido empresarial das diversas fileiras agrícolas e agroalimentares possibilitando a necessária digitalização”
banner APP

“O polo funcionará como ponto de encontro de fornecedores e potenciais clientes-utilizadores dos setores agrícolas e agroalimentares que, beneficiando da digitalização da cadeia de valor, poderão colaborar no desenvolvimento de novas soluções úteis e concretas que respondem a necessidades reais das empresas”, explica Luís Mira, secretário-geral da CAP.

O projeto FARM2FORK_DIH enquadra-se no compromisso assumido em 2019, quando 25 países europeus assumiram a digitalização da agricultura e áreas rurais europeias como prioridade e assinaram uma declaração de cooperação sobre “Um futuro digital inteligente e sustentável para a agricultura e áreas rurais europeias”.

O consórcio que quer criar este polo é composto por 11 entidades dos setores agrícolas e agroalimentar em Portugal: CAP, FIPA, APED, COTEC, PortugalFoods, Colab4Food, ISEL, AROMNI, INL, Beta-i e AgrogrinTech, em parceria com Portugal Ventures através do programa Ignition Partners.