- Vida Rural - https://www.vidarural.pt -

Estudo: Estratégia “do Prado ao Prato” vai reduzir produção agrícola europeia

A produção agrícola na União Europeia (UE) vai sofrer uma redução significativa com a implementação total da estratégia “do Prado ao Prato” [1], revelou um estudo da Universidade de Quiel [2] (Alemanha), encomendada pela aliança Grain Club [3] e outras instituições.

No entanto, a universidade relata, em comunicado [4], que o autor do estudo, Christian Henning, nota que isto poderia também levar a oportunidades de todos os lados. Por exemplo, a totalidade das medidas “do prado ao prato” vai reforçar os serviços dos ecossistemas, como a proteção do clima e da água, em todos os estados-membros da UE e, ao mesmo tempo, vai aumentar o rendimento gerado pela agricultura em até 35 mil milhões de euros por ano.

 

“Do ponto de vista dos consumidores, o Pacto Ecológico Europeu compensa desde que o benefício do aumento da proteção climática e da água e do aumento da biodiversidade seja superior ao custo de ajuste de 157 euros por ano [equivalente a 0,3% do rendimento per capita na UE]”, disse o autor.

banner APP [5]

O estudo estima que os consumidores teriam de pagar até mais 10% do seu rendimento per capita para a plena aplicação dos objetivos, o que implica um potencial de procura para serviços de ecossistemas agrícolas de aproximadamente 320 mil milhões de euros ou 715 euros por ano. De acordo com o estudo, este potencial ainda não está totalmente concretizado na implementação atual da estratégia.

 

“A redução prevista das emissões de gases com efeito de estufa através de uma redução da produção agrícola europeia é completamente anulada por um aumento das emissões de gases com efeito de estufa fora da UE, bem como por alterações na utilização dos territórios na UE, “, acrescentou ainda o professor Christian Henning.

Outras medidas individuais baseadas em financiamento único para técnicas de produção específicas – como a “Agricultura Biológica” de acordo com as diretivas da UE – não são rentáveis, segundo o professor.

Outras conclusões: