Agroindústria

Produção de azeite da UE deverá atingir 2,3 milhões de toneladas na próxima campanha

Produção de azeite da UE deverá atingir 2,3 milhões de toneladas na próxima campanha

Depois de uma campanha de produção de azeite “dentro da média” em 2017/2018, a produção de azeite da União Europeia deverá atingir, na campanha de 2018/2019, cerca de 2,3 milhões de tonelada.

Os números constam do Boletim de Previsões Agrícolas da União Europeia para a próxima campanha e apontam para um aumento da procura de azeite no próximo ano que será impulsionado pela recuperação do mercado espanhol, mas também pelo crescimento do consumo fora de Espanha, Portugal, Itália e Grécia, mercados responsáveis por 99% da produção de azeite da UE e dois terços da produção mundial.

Península Ibérica lidera crescimento

O boletim agrícola da União Europeia antevê ainda um crescimento na produção europeia de azeite que deverá ser impulsionado por práticas agronómicas mais sustentáveis e também por novas plantações.

Estes catalisadores de crescimento incluem, por exemplo, uma maior aposta em regadio em mercados como Espanha e Portugal, mas também uma melhoria das técnicas de produção em Itália e a modernização da indústria transformadora em Portugal, aponta o documento. Assim, é expectável que a produção europeia de azeite cresça cerca de 1,3% por ano até 2030. Uma percentagem que cresce para cerca de 2% no caso de Portugal e Espanha, que deverão registar um crescimento acima da média europeia.

Importa também referir que, de acordo com as previsões da União Europeia, os preços do azeite deverão manter-se voláteis, uma tendência explicada pela cada vez maior variabilidade das condições climáticas, mas também pela presença de Xylella fastidiosa em algumas regiões europeias produtoras de azeite.

Consumo de azeite em queda

O estudo agora publicado pela União Europeia revela, por fim, que o consumo de azeite nos países que mais produzem este bem está em decréscimo. Por detrás da tendência está a mudança dos hábitos de consumo e o aumento de preços impulsionado pelas quebras de produção.

Em 2030, é esperado que o consumo nestes países [Espanha, Portugal, Itália e Grécia] tenha caído cerca de 5% em comparação com a média de 2015-2017, para cerca de 9,2 quilos per capita. Por outro lado, nos restantes Estados-Membros da UE, o consumo de azeite deverá continuar a crescer, prevendo-se ainda que, em 2030, um terço do consumo de azeite da União Europeia seja fora dos países que mais produzem azeite.