Cereais

Setor agroalimentar resiliente perante pandemia

Agroalimentar nacional gerou 18 mil milhões de euros em volume de negócios

De acordo com um novo relatório da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), apesar das incertezas que os mercados de alimentos vão enfrentar nos próximos meses como consequência da pandemia do coronavírus, o setor agroalimentar deverá mostrar mais resiliência.

“Os impactos da pandemia da Covid-19 foram sentidos – em graus variados – em todos os setores de alimentos avaliados pela FAO”, disse Boubaker Ben-Belhassen, diretor da Divisão de Comércio e Mercados da FAO, citado pelo AgroLink.

“Embora a covid-19 represente uma séria ameaça à segurança alimentar, no geral, nossa análise mostra que, da perspetiva global, os mercados de commodities agrícolas estão a revelar-se mais resistentes à pandemia do que muitos outros setores. Dito isto, devido ao tamanho do desafio e às enormes incertezas a ele associadas, a comunidade internacional deve permanecer vigilante e pronta para reagir, se e quando necessário”,acrescenta.

Segundo o relatório Food Outlook da FAO, as tendências de produção e mercado em 2020/2021 apontam para uma situação confortável para a oferta e procura de cereais, prevendo que o comércio mundial seja de 433 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 2,2% (9,4 milhões de toneladas) em comparação com 2019/2020.