- Vida Rural - https://www.vidarural.pt -

Syngenta lança novo inseticida para grandes culturas extensivas

A Syngenta apresentou recentemente no mercado português um novo inseticida para controlo das principais pragas das culturas do tomate, milho e batata – o Ampligo. De acordo com a marca, esta nova solução distingue-se “pela sua tecnologia de formulação e pelo efeito multipraga com proteção prolongada”.

“O Ampligo é um inseticida para aplicação foliar formulado com uma suspensão concentrada que contém 100 G/L de clorantraniliprol e uma suspensão de cápsulas com 50 g/L de lambda-cialotrina. Atua por ingestão e contato, com um excelente efeito de choque e rapidez de ação. Tem amplo espectro de ação contra vários tipos de lepidópteros e afídeos. Ao conter duas substâncias ativas com dois modos de ação diferentes, proporciona um controlo de todos os estádios de desenvolvimento dos lepidópteros, uma maior persistência de ação, um controlo superior dos vários momentos da curva de voo e um bom perfil anti resistências”, refere a Syngenta.

 

Para além disso, segundo a marca, por possuir a tecnologia Zeon, o Ampligo “distingue-se de outros inseticidas existentes no mercado.”, já que “a característica diferenciadora da tecnologia Zeon tem por base o reduzido tamanho das cápsulas (entre 0,1 e 10 micras) e a fragilidade equilibrada da parede das mesmas. Isto assegura que a substância ativa lambda-cialotrina se liberta quase de imediato depois de as gotas de calda depositadas nas folhas secarem, o que confere maior eficácia ao produto, pela sua maior resistência à lavagem pela chuva e porque lhe permite atuar num amplo intervalo de temperaturas, e aumenta a segurança do aplicador.”

banner APP [1]

Na cultura do milho, esta solução está homologada para controlo das lagartas– piral do milho, sesâmia e H. armígera –e tem um efeito indireto na redução dos níveis de micotoxinas provocadas por fusarium no grão; na cultura do tomate de indústria, está homologado para controlo da lagarta-do-tomate e traça do tomateiro (Tuta abolsuta), duas das espécies que mais prejuízos causam na cultura; na batata, está registado para proteção contra a traça e o escaravelho.

 

De acordo com a Syngenta, que cita dados da Anipla, o potencial impacto económico destas pragas nestas culturas é estimado em 297 milhões de euros.