Agricultura

BioProdutores: organização quer unir produtores de biológicos e melhorar qualidade da produção

Bioprodutores: organização quer unir produtores de biológicos e melhorar qualidade da produção

Será lançada a 12 de setembro, em Penafiel, a BioProdutores, uma organização criada pela empresa Biocheers, que se dedica à produção, comercialização e distribuição de produtos biológicos certificados.

À VIDA RURAL, Daniel Queirós, diretor geral da Biocheers, revela que o projeto BioProdutores pretende captar e apoiar o desenvolvimento de produtores agrícolas em modo de produção biológica, contribuindo para o aumento da oferta de produtos agrícolas e agroalimentares obtidos em produção biológica.

A organização, que se assume como um “cluster de agricultores com objetivos comuns”, revela-nos que terá dois grandes objetivos. “O primeiro objetivo consiste em rentabilizar ao máximo as explorações agrícolas dos membros, por via de um conjunto de normas e orientações previstas no regulamento, as quais, visam por exemplo, baixar os custos de produção ou a divulgação de conhecimento atualizado relativo à área da produção em modo biológico. Em segundo lugar, aumentar o reconhecimento e a oferta de produtos alimentares produzidos em modo biológico e devidamente certificados como tal, de origem nacional, em quantidade e qualidade, respondendo assim, à necessidade crescente do mercado consumidor deste tipo de produtos”, sublinha Daniel Queirós.

Os serviços prestados aos membros da BioProdutores só serão conhecidos a 12 de setembro, contudo, o diretor geral da Biocheers explica que “o mais relevante é assegurar o escoamento dos produtos produzidos de acordo com as normas e orientações previstas no plano de produção e a preços justos. Mas, não menos importantes são serviços de orientação e aconselhamento técnico, fundamentais para a prossecução de objetivos tão vitais como, por exemplo, baixar os custos de produção.”

Daniel Queirós diz ainda que a BioProdutores pretende assegurar que os produtores têm acesso “a know-how” e “ao mercado”. “A estes dois valiosos pontos, junta-se um terceiro, não menos importante: o saber muito bem o que é ser-se um Bioprodutor”, conclui.