Florestas

Largadas de Torymus sinensis para combater vespa da galha do castanheiro

Largadas de Torymus sinensis vespa da galha do castanheiro

A Comissão Local de Acompanhamento da vespa das galhas do castanheiro do Município de Macedo de Cavaleiros efetuou mais de 50 largadas do parasitoide Torymus sinensis para combater biologicamente a praga que afeta mais de metade da área de souto do concelho.

“Temos vindo a desenvolver um trabalho de identificação, quantificação e georreferenciação dos vários locais com presença da vespa no concelho de Macedo de Cavaleiros, para determinar a área afetada e delinear estratégias de ação”, explica o vereador Rui Vilarinho.

Desta análise, efetuada em parceria com a Cooperativa Soutos os Cavaleiros, resultou “um plano de luta biológica com largadas do parasitoide Torymus sinensis para os próximos três anos, tendo por base a presença da vespa no terreno, o grau de intensidade de ataque e as normas definidas em orientação técnica”.

A vespa das galhas do castanheiro ataca as árvores e induz a formação de galhas nos gomos e folhas do castanheiro, provocando a redução do crescimento dos ramos e a frutificação, podendo diminuir drasticamente a produção e a qualidade da castanha, além de levar ao declínio e morte dos castanheiros.

Rui Vilarinho explica que, considerando que o nível atual de infestação é considerado grave (3 a 4 árvores com 51-80% de gomos atacados), foi definida a realização de uma largada por cada 25 hectares de souto.

Com uma área de souto no concelho que ronda os 3 260,17 hectares, e atendendo às limitações impostas pela área de abrangência de cada largada, a Cooperativa Souto os Cavaleiros irá realizar entre 2020 e 2022 um total de 133 largadas, das quais 53 já foram efetuadas este ano.

“Atendendo ao número máximo de largadas permitidas pela Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) foram realizadas 53 largadas entre abril e maio”, explica Rui Vilarinho.

Desde o início do ano a autarquia já investiu quase 13 mil euros nesta luta biológica.