Quantcast
Sustentabilidade

Vinhos do Alentejo lançam certificação em produção sustentável

Angola é principal importador de vinhos do Alentejo

Os Vinhos do Alentejo vão começar a beneficiar de uma certificação em produção sustentável. A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) vai iniciar a atribuição destes certificados e revela que este selo, inédito no setor, será atribuído aos produtores que cumpram com requisitos na área da gestão de solos, água e rega, diminuição de produção de resíduos ou monitorização da fertilização, entre outros critérios.

A CVRA acredita que, “para além do benefício ambiental, a atribuição destes selos traz outras vantagens aos produtores que apostem numa viticultura mais sustentável”, com foco no aumento das vendas de vinho em cerca de 5 a 10%, um acréscimo explicado pelo facto de “85% dos portugueses revelar que a importância que as empresas atribuem às causas ambientais influencia a decisão de compra”.

Paralelamente, há ainda o benefício de redução de custos, dada a implementação de planos de monitorização de água e luz permitem poupanças de cerca de 20% e de 30%, respetivamente.

A Comissão revela ainda que a certificação surge “no ano em que se assinala o 5º aniversário desde a criação do Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA), pioneiro em Portugal e revolucionário do setor, que conta já com 422 membros associados, que representam mais de 40% da área de vinha do Alentejo”.

João Barroso, coordenador do PSVA, explica que “produções vitivinícolas mais sustentáveis do ponto de vista ambiental, através da redução do uso de pesticidas, do gasto de água e eletricidade ou da proteção da biodiversidade são, sem dúvida, produções também elas mais viáveis economicamente, uma vez que tornam todo o processo, desde a uva até à garrafa mais eficaz e eficiente”.

O que é o Programa de Sustentabilidade?

O PSVA promove no campo, a boa gestão dos solos, a utilização de organismos auxiliares, a preservação dos ecossistemas, a conservação e restauro das linhas de água, ou recurso ao modo de produção integrada e modo de produção biológica. Na adega, a eficiência energética e o uso racional de água são prioritários, mas também o é a redução da produção de resíduos. A reciclagem e desmaterialização de processos, bem como o uso de produtos mais verdes, como o uso de rolhas, barricas e outros materiais de florestas certificadas, são, igualmente, incentivados.

“Ao longo dos últimos anos, tem-se verificado uma maior sensibilização e atuação por parte dos produtores alentejanos em relação à gestão de água, eficiência energética e à importância da conservação da biodiversidade, mas, com esta certificação, será possível dar o salto para uma produção ainda mais amiga do ambiente e que, sendo pioneira, destaca o espírito de inovação do Alentejo no mercado interno, mas, também, internacionalmente”, explica Francisco Mateus, presidente da direção da CVRA.

Recentemente, o PSVA foi distinguido com o título de Embaixador Europeu de Inovação Rural pelo projeto LIAISON, uma Parceria Europeia de Inovação para a Produtividade Agrícola e Sustentabilidade lançada em 2012, pela Comissão Europeia, que promove os melhores projetos europeus ao nível da inovação na agricultura e silvicultura em áreas rurais.