Quantcast
Agricultura

Estudo indica subestimação dos valores de dependência dos polinizadores na agricultura

Estudo indica subestimação dos valores de dependência dos polinizadores na agricultura Direitos Reservados

As metodologias atuais de determinação da dependência dos polinizadores tendem a subestimar a sua importância na produção agrícola, revelou um estudo realizado por investigadores da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em parceria com a Universidade Federal de Goiás, no Brasil.

Além disso, a investigação também concluiu que mais de 74% das culturas polinizadas por animais dependem fortemente dos polinizadores, contribuindo com mais de 40% da sua produção agrícola, avança a comunicação no site da FCTUC.

 

A análise visou “atualizar e avaliar os valores de dependência dos polinizadores em culturas agrícolas a nível global”, revelou Catarina Siopa, aluna de doutoramento na FCTUC e primeira autora do estudo.

E continua: “estes valores são cruciais para compreender e quantificar a contribuição dos polinizadores na produção agrícola e são utilizados para orientar políticas e práticas de gestão visando uma produção sustentável de alimentos”.

 

Apesar da importância do tema e, de acordo com o estudo, as compilações destes valores, a nível global, “encontram-se desatualizadas e não contemplam a variabilidade entre culturas relacionadas, nem a limitação de pólen, isto é, a produção que se perde devido à baixa quantidade e/ou qualidade de pólen depositado pelos polinizadores”.

banner APP VR Mobile

Como base desta análise, esteve uma investigação publicada no ano passado, resultado de uma revisão de literatura sobre experiências de polinização, conduzida por Catarina Siopa, que inclui também uma lista de 141 culturas agrícolas e os seus valores de dependência, “considerando pela primeira vez a variedade agrícola”.

 

A investigadora acredita que estes resultados “constituem uma ferramenta importante para produtores e agricultores na tomada de decisões, uma vez que podem definir as culturas e, dentro destas, as variedades a plantar conforme as necessidades de polinização e as características do local”.

O artigo científico, publicado na revista científica Journal of Applied Ecology, destaca também a importância de considerar a limitação de pólen ao avaliar a dependência dos polinizadores das culturas.

 

Para a primeira autora do estudo, este é “um passo importante para compreender melhor a contribuição dos polinizadores para a segurança alimentar e para desenvolver práticas agrícolas sustentáveis”.