Cultivares de Oliveira

Cultivares de Oliveira: Carrasquenha

Variedades de Oliveira: Carrasquenha

Cordeiro, A.M.; Calado, M.L.; Morais, N.; Miranda, A. & Carvalho, M.T.

INRB / L-INIA / URGEMP

Aspectos Gerais

Sinonímias reconhecidas: Carrasca.

Disseminação: Concelhos de Campo Maior e Elvas no Alentejo e concelho de Idanha-a-Nova na Beira Interior.

Divulgação actual da variedade: Azeite e conserva em verde.

Descrição Agronómica e Económica

– Cultivar bastante produtiva em porta-enxerto vigoroso. Azeitona de peso alto (3,5-5 g); endocarpo de peso alto (0,45-0,7 g).

– Média resistência do fruto ao desprendimento e queda natural reduzida.

– Baixa capacidade de propagação por estaca semi‑lenhosa.

– Início plena floração (na região de Elvas e ano médio): 4 de Maio; duração média da floração: 19 dias.

– Maturação tardia (2ª quinzena de Dezembro).

– Cultivar adaptada à colheita mecânica.

– Baixa incidência de gafa e média de mosca.

– Alto rendimento em azeite (22-24%) e de mediana riqueza em ácido linoleico.

Identificação Morfológica

ÁRVORE: Vigor baixo, arborescência média, porte aberto e entre‑nós médios.

FOLHA: Forma elíptico-lanceolada, largura e comprimento médio e curvatura longitudinal do limbo epinástica.

INFLORESCÊNCIA: Comprimento médio e nº de flores/inflorescência médio (18‑21 flores).

FRUTO: Forma ovóide e assimétrica; diâmetro transversal máximo desviado para a base; ápice arredondado e base truncada; mamilo ausente; lentículas abundantes e grandes; início de viragem no ápice e arroxeado em plena maturação.

ENDOCARPO: Forma elíptica, ligeiramente assimétrico na posição A e simétrico na posição B; diâmetro transversal máximo ao centro; ápice e base arredondadas; superfície rugosa; sulcos de distribuição uniforme (7-10); ápice com mucrão.

Caracterização Molecular

Pedro Fevereiro, ITQB / FC-UL