Quantcast
Nutrição

Stevia, um adoçante natural não nutritivo

nutrição - Stevia

Os adoçantes, naturais ou artificiais, têm um impacto muito importante na alimentação. Estes compostos são amplamente discutidos pelos profissionais de saúde, pela indústria alimentar e pelo consumidor, cada vez mais preocupado com a relação entre a ingestão de edulcorantes e a segurança para a saúde.

Na última década, a obesidade foi declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma epidemia global. A nível mundial, em 2000, o número de indivíduos com diabetes correspondia a um total de 171 milhões e prevê-se que aumente para 366 milhões em 2030.

A maioria dos indivíduos associa o sabor doce à presença de sacarose, ou açúcar simples/”de mesa”. Mas quando falamos em “açúcares”/hidratos de carbono simples, também estão incluídos neste grupo a frutose e a glicose. Estes estão naturalmente presentes em vários alimentos, como na fruta e no mel.

Os adoçantes, ou edulcorantes, podem ser classificados como naturais ou sintéticos, dependendo da sua origem, em pó ou xarope, dependendo da sua textura, calóricos ou não calóricos, dependendo da sua densidade energética. Existem diferentes adoçantes com diferentes poderes adoçantes, nenhum ideal para todas as aplicações.

Os edulcorantes só podem ser introduzidos na indústria alimentar após uma exigente avaliação por instituições científicas competentes, analisando aspetos toxicológicos, microbiológicos e de segurança, uma vez que só assim se conseguem detectar possíveis riscos para o consumidor. Quer isto dizer, que antes de um edulcorante ser introduzido na composição de um produto tem de cumprir todas a disposições estabelecidas.

Segundo a JECFA (Food and Agriculture Organization/World Health Organization’s Joint Expert Committee on Food Additives), o consumo humano de stevia é seguro para a saúde, não devendo exceder 4mg/kg peso corporal/dia. Por ter esta extraordinária capacidade adoçante, a Stevia foi largamente estudada pelas autoridades de saúde na Europa – EFSA (European Food Safety Authority) que analisaram mais de 200 estudos científicos que comprovam que a Stevia é segura para a saúde humana em qualquer.

A stevia pertence à família Asteraceae, originária do norte do Paraguai. É considerada um edulcorante natural não nutritivo, uma vez que as calorias que apresenta são negligenciáveis e que o organismo humano não a consegue metabolizar.

A maioria dos estudos relacionados com o poder adoçante da stevia aponta para um poder adoçante 200 vezes superior ao da sacarose. Este adoçante é estável a temperaturas superiores a 200º C, sendo assim ideal para adoçar alimentos/produtos alimentares como produtos de pastelaria, à excepção do pão pela interacção com o fermento, bolachas, bebidas, chás.

Stevia - nutrição - Vida Rural

A forma mais comum de stevia no mercado é em pó mas também já se comercializam soluções líquidas.

Ao nível da rotulagem alimentar, os produtos que possuem as substâncias extraídas da stevia contém o código E960 e/ou a designação de glicosídeos de esteviol na lista de ingredientes.

A ingestão de alimentos com edulcorantes naturais, seguros para a saúde, em detrimento de outros alimentos com elevada densidade energética e concentração de açúcares simples, é um comportamento alimentar recomendado em contexto de necessidade de obtenção de um balanço energético negativo, ou seja, perante a necessidade de perda de peso ponderal. Ainda, importante no âmbito da redução de ingestão de açúcares simples como na presença de diabetes Mellitus tipo 2.

Com a produção de stevia, podemos estar perante uma nova oportunidade para a agricultura. É importante ter em atenção a gestão da cultura e a respetiva produção para que esta seja melhorada e optimizada.

Dica para o consumidor

Ensine o consumidor a preparar o seu próprio adoçante caseiro, em pó ou líquido, em 3 passos.

Para preparar stevia em pó: 1. Secar as folhas de stevia num local quente e iluminado;

2. Quando as folhas estiverem secas, deve esmagar-se as folhas, por exemplo, com recurso a um almofariz ou a uma picadora, até se obter um pó fino;

3. Concluída a transformação das folhas em pó, deve reservar-se o resultado num frasco, acondicionado num local fresco e seco.

É importante referir que a versão caseira não é tão adoçante como a processada e encontrada no mercado, sendo a primeira de coloração verde e a segunda de coloração branca, mas com igual elevado poder adoçante. 3 a 4 colheres de chá de pó de stevia caseiro equivalem a 180g de açúcar.

Para preparar stevia líquida: 1. Dissolver 45g de stevia em pó em 240 ml de água filtrada morna;

2. Colocar num frasco de vidro e reservar por 24h;

3. Após as 24h, colocar em refrigeração/no frigorífico.

Artigo publicado na edição de abril de 2016 da revista VIDA RURAL