Agricultura

32 focos de Xylella fastidiosa detetados em Gaia

32 focos de Xylella fastidiosa detetados em Gaia

A Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia confirmou esta terça-feira (13 de agosto) à agência Lusa que foram detetados na região 32 focos da bactéria Xylella fastidiosa.  A autarquia diz, no entanto, que “tudo fará para conter a doença e evitar prejuízos de maior”.

A Xylella fastidiosa pode afetar várias espécies de plantas, nomeadamente amendoeira, cerejeira, ameixeira, oliveira, sobreiro, figueira, bem como plantas ornamentais e da flora espontânea e que em janeiro obrigou à destruição de um canteiro no Zoo de Santo Inácio, também em Vila Nova de Gaia.

De acordo com a Lusa, a Direção Geral de Agricultura e Pescas do Norte já demarcou uma área que inclui freguesias dos concelhos de Gaia, Espinho, Porto e Santa Maria da Feira.

“Tudo tem sido feito, desde a descoberta da doença em Gaia, para conter o mais rapidamente possível a doença e evitar a contaminação de outros territórios. As autoridades competentes, juntamente com o Município, têm feito todas as diligências necessárias e possíveis para conter a infeção, seguindo as medidas preconizadas no Plano de contingência para controlo da Xylella fastidiosa e seus vetores, da DGAV”, diz a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

Em janeiro deste ano, o ministro da Agricultura, Capoulas Santos, assegurou que o Governo tem um plano de contingência para fazer face à bactéria Xylella fastidiosa e em março anunciou um concurso financiado pelo Programa de Desenvolvimento Rural para apoiar, com um montante de 2 milhões de euros, investimentos em viveiros para prevenção da contaminação pela bactéria Xylella fastidiosa.