Quantcast
 

Barragens a metade da sua capacidade de armazenamento

A água armazenada em muitas albufeiras portuguesas não chega sequer a 50% da sua capacidade total de armazenamento.

A água armazenada em muitas albufeiras portuguesas não chega sequer a 50% da sua capacidade total de armazenamento. De acordo com a Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, no período de 24 a 29 de Dezembro de 2007, das 32 albufeiras analisadas, 13 não completavam 50% da sua capacidade total de armazenamento de água e, em todas elas, as percentagens eram inferiores a igual período do ano passado. As situações mais graves são em Meimoa e Alvito, que registam valores negativos, seguidas das albufeiras de Odivelas, que totaliza 14% (no ano passado estava com 62,2%), Funcho, com 30,8% (em 2006 contava 74,3%), Roxo, com 31,2% (55,3% em 2006) e Arade (Silves), que atingia, em finais de Dezembro, apenas 36,5% do total da sua capacidade de armazenamento, quando, no ano passado, chegava aos 86,8%.

 

Estes dados vêm ao encontro das informações do Instituto da Meteorologia (IM), que revelou que 2007 foi um ano “extremamente seco”, embora o Verão tenha sido o mais chuvoso do século XXI. De acordo com o IM, apesar da chuva registada no Verão, os valores de precipitação foram “muito inferiores ao valor normal do período de referência (1961-1990), tendo 2007 sido mesmo o segundo ano mais seco desde 1931″.