- Vida Rural - https://www.vidarural.pt -

Capoulas Santos articula medidas anti-Xylella com Espanha

O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, esteve em Mérida com o seu homólogo espanhol para articular medidas de defesa de sanidade anti-Xylella [1]bem como a estratégia conjunta para a reforma da PAC.

Capoulas Santos e Luis Planas Puchades estão preocupados com a bactéria Xylella fastidiosa, cuja presença foi recentemente detetada em plantas de lavanda no norte de Portugal, em Vila Nova de Gaia.

Portugal tem já em curso o Plano de Contingência Nacional [2], cujo objetivo é o controlo e erradicação da bactéria, sendo que em Espanha, desde há alguns meses, vêm sendo detetados alguns focos nas baleares, na região de Madrid e na região de Alicante.

Capoulas Santos defendeu a necessidade de “articular uma estratégia de prevenção e de combate à propagação da doença, por forma a limitar ao máximo, e se possível eliminar, as possibilidades de contágio”.

Relativamente ao Plano de Contingência Nacional, o Ministério da Agricultura informou que “num raio de 100 metros a partir da planta infetada (Zona Infetada) foram já destruídas mais de 200 plantas suscetíveis de hospedar a bactéria e estão já em curso as operações de prospeção num raio de 5 Km a partir do foco de deteção da bactéria (Zona Tampão). Das mais de 400 amostras colhidas dentro da Zona Infetada, e analisadas até à última sexta-feira (18.01), apenas obtiveram resultado positivo amostras colhidas em lavandas (menos de 10% das amostras). Os serviços do Ministério da Agricultura (Direção Geral de Alimentação e Veterinária, Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte e Instituto de Conservação da Natureza e Florestas) estão agora a proceder à colheita de amostras e verificação de sintomas em plantas de espécies sensíveis à bactéria dentro da Zona Tampão”.

Ainda de acordo com o Ministério da Agricultura, as medidas de proteção incluem a divulgação de um folheto informativo indicando cuidados a ter com a movimentação de plantas ou partes de plantas que se destinem a plantação distribuído às populações abrangidas pela Zona Demarcada (Zona Infetada + Zona Tampão), em conjunto com a fatura da água. Será também implementada sinalética nas vias de comunicação, indicando a fronteira da Zona Demarcada.

Fica também proibida a compra e venda de espécies sensíveis à bactéria dentro da Zona Tampão, impedindo os operadores económicos de comercializar essas plantas.

Recorde-se que já foi identificada a estirpe da bactéria Xylella fastidiosa que infetou as plantas de lavanda. Trata-se da estirpe multiplex que, apesar de poder afetar também oliveiras, não corresponde à estirpe que em Itália está a afetar milhares de hectares de olival, a estirpe pauca, cuja presença não foi identificada.

O comunicado do Ministério adianta ainda que as plantas de lavanda nas quais foi detetada a presença da bactéria foram produzidas no próprio jardim onde se encontravam (Jardim Zoológico de Santo Inácio), a partir de plantas ali existentes há mais de 10 anos. As  plantas onde a bactéria foi identificada não apresentavam sintomas de doença e foram imediatamente destruídas após o conhecimento do resultado positivo da análise.