Quantcast
Sustentabilidade

Clube de Produtores do Continente premeia Inovação

O Clube de Produtores Continente, estrutura da Sonae MC dedicada ao apoio e promoção da Produção Nacional, atribuiu o Prémio Inovação às ‘cookies de maçã’, da Alitec, e o ‘Snack Zero Desperdício’, da Panicruzeiro.

Os prémios contaram com a participação de 20 produtores, entre organizações de produtores e empresas do setor agrícola, agropecuário e agroalimentar.

As cookies são feitas à base de farinha de maçã e permitem o aproveitamento total da matéria prima utilizada na empresa Alitec. O principal objetivo da empresa, localizada em Valado dos Frades, Nazaré, é transformar fruta feia e legumes de baixo valor comercial em alimentos saudáveis, seguros, funcionais, qualificados e de elevada satisfação alimentar.

O projeto ‘Snack Zero Desperdício’, da Panicruzeiro, teve como objetivo o desenvolvimento de um snack nutritivo, saudável e saboroso, com valorização de subprodutos da produção. A Panicruzeiro é uma empresa de cariz familiar, localizada em Corroios, Seixal, dedicada ao fabrico de biscoitos secos e fritos de Natal, tendo como principal cliente o Continente, para quem fabrica, entre outros, produtos de marca própria e gourmet.

Estes projetos foram apresentados pelos produtores no âmbito da Academia Clube de Produtores Continente, e o prémio reconhece as empresas que se destacam pela inovação dos seus produtos, alinhados com princípios como a sustentabilidade, economia circular e contribuição para hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis.

O Clube de Produtores Continente atribuiu ainda o Prémio Excelência, com o propósito de distinguir produtores que marcam o Clube pela forte relação de parceria, a Carlos Grave, produtor de carne Angus Continente Carlos Grave. Nascido em Évora e formado em Agronomia pelo Instituto Superior de Agronomia, Carlos Grave sempre esteve ligado à produção animal e iniciou a produção da raça Aberdeen-Angus há aproximadamente 10 anos.

De acordo com o Continente, entre janeiro e março, o retalhista adquiriu mais de 71,3 milhões de euros em produtos nacionais a estes produtores sendo que, no segmento frutas e legumes, um dos que mais procura registou durante a pandemia, as compras nacionais representaram um crescimento superior a 4 milhões de euros em relação a 2019, superando os 28 milhões de euros.