Quantcast
Produção Nacional

CNA diz que crise do leite e da carne suína “não se resolve com mezinhas”

porcos

Os produtores de leite e de carne suína voltaram a manifestar-se esta semana para chamar à atenção para os problemas do setor. Numa nota enviada às redações, a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) refere que os produtores pecuários e o país “precisam de ajudas para produzir” e que “a crise do leite e da carne suína não se resolve com mezinhas”.

Na manifestação desta semana, os produtores de leite defenderam que “a produção de leite e de carne é fundamental para o nosso país, quer do ponto de vista económico quer da nossa alimentação.”

“Já se disse que, no plano europeu, é indispensável a retoma de mecanismos públicos – como foram as Quotas Leiteiras – para controlar e para repartir a produção de leite pelos Estados-Membro e pelos respetivos produtores de leite. O fim das Quotas Leiteiras muito contribui para a falta de escoamento do leite e para os preços muito baixos [pagos] à produção”, refere.

Os preços pagos aos produtores estão neste momento nos 26 cêntimos por litro de leite, com os custos de produção a rondarem os 33 cêntimos por litro de leite. De acordo com a CNA, isto significa que, atualmente, “cada vaca leiteira a produzir está a dar um prejuízo mensal na ordem dos 60 euros”.

Para a organização, a solução deve passar por “controlar e restringir as importações que invadem o nosso país e até põem em causa a qualidade alimentar. Aliás, é isso mesmo que estão a fazer Espanha e França em relação aquilo que importam”.

Para além disso, diz a CNA, “se houver vontade política, é possível retomar as Quotas Leiteiras” e “regulamentar pela via legislativa (Governo e Assembleia da República) e fiscalizar a atividade especulativa dos Hipermercados que promovem as importações desnecessárias e esmagam, em baixa, os preços à produção nacional.”

Mais, de acordo com a Confederação Nacional da Agricultura, é preciso “haver um combate à especulação com os preços das rações, da sanidade animal, da eletricidade e dos adubos”, de forma a diminuir os custos de produção.

De resto, os produtores nacionais de leite e de carne suína pedem que sejam aumentadas as ajudas ligadas à produção no âmbito da PAC; uma isenção temporária do pagamento das contribuições mensais dos produtores pecuários para a Segurança Social, que de resto já mereceu a atenção do Ministério da Agricultura, que reduziu esses pagamentos em 50%; e linhas de crédito bonificado a longo prazo para desendividamento e para investimento dos produtores pecuários.