Agricultura

Confagri: setor não pode parar e deve ser prioritário nos planos de contingência

ONU aconselha dieta à base de plantas e alimentos de origem animal sustentáveis para combater alterações climáticas

A Confagri emitiu um comunicado no qual relembra que a agricultura não pode parar, sendo responsável por “garantir o provimento de bens alimentares às populações”, e solicita ao Ministério da Agricultura que o setor seja considerado prioritário no âmbito dos planos e medidas de contingência.

A confederação relembra que a agricultura é uma atividade que não pode ser suspensa, por não ser possível “parar o ciclo biológico das plantas e dos animais”, o que determina a necessidade dos agricultores “continuarem com as suas atividades agrícolas e pecuárias” .

A Confagri considera, assim, “fundamental manter também serviços mínimos nas cooperativas agrícolas para o abastecimento de fatores de produção, tais como produtos fitofarmacêuticos, fertilizantes, sementes, rações e medicamentos veterinários”.

No comunicado refere também considerar imprescindível a “manutenção dos movimentos transfronteiriços para a circulação de bens alimentares e de fatores de produção”. Como tal, a associação apela ao Ministério da Agricultura e às Autoridades de Saúde e de Administração Interna que estabeleçam regras para que seja possível garantir a circulação de mercadorias, no mercado interno europeu e países terceiros, com a maior segurança.

“As cooperativas agrícolas e os agricultores, neste período de crise generalizada para todos, com sentido de dever e responsabilidade, irão continuar a zelar pela produção e manutenção do abastecimento de bens alimentares seguros e de qualidade aos cidadãos”, conclui a Confagri.