Quantcast
Pecuária

Depois da destruição dos pastos, Arouca precisa de 430 mil euros para alimentação animal

O presidente da Câmara Municipal de Arouca pediu esta semana ao Governo que atue de forma “rápida” na distribuição dos fundos para proprietários de animais que perderam o pasto nos incêndios que nas últimas semanas assolaram o país. De acordo com José Artur Neves, os gastos com alimentação substituta para os animais deverão ultrapassar os 430 mil euros.

“O Ministério da Administração Interna tem um fundo de emergência que vai ser aplicado na sobrevivência dos animais e é preciso que a distribuição seja rápida porque os criadores não conseguem suportar a despesa com a alimentação que vão ter que comprar para substituir o pasto que ardeu”, referiu à Lusa o autarca.

“A Cooperativa Agrícola de Arouca vai criar uma conta corrente em débito para ajudar esses proprietários, mas esta despesa terá que ser paga por alguém e esperamos que seja pela Administração Central, já que o Governo nos disse que tudo seria canalizado através das autarquias e nós queremos agilizar o processo para tudo regressar à normalidade o quanto antes”, sublinha.

Só em Arouca, arderam cerca de 170 quilómetros quadrados de terreno florestal e agrícola, o que levou à destruição de 98% da área de pasto do concelho e a prejuízos em cerca de 57 propriedades pecuárias, que ficaram sem alimentação natural para os seus animais.