Agricultura

Dimensão das explorações agrícolas portuguesas já vai em 14,1 hectares

Dimensão das explorações agrícolas portuguesas já vai em 14,1 hectares

A dimensão das explorações agrícolas portuguesas aumentou em 2016, assim como a produtividade. A conclusão consta do mais recente ‘Inquérito à Estrutura das Explorações Agrícolas’ do INE relativo ao ano de 2016 e que indica, ainda, que os produtores agrícolas nacionais são os mais velhos da União Europeia, com uma média de idades de 65 anos.

Segundo os dados do INE, os produtores agrícolas portugueses são sobretudo homens (66,2%), com mais de metade das explorações a serem geridas por pessoas com mais de 65 anos. Para além disso, o mais recente inquérito indica que a grande maioria dos produtores agrícolas nacionais tem apenas o ensino básico (71,4%) e apenas 5,8% possui habilitações ao nível do ensino superior. A nível regional, os produtores algarvios destacam-se como os mais velhos (com uma média de idades de 69 anos) e os açorianos como os mais novos (57 anos), revelam ainda os dados do INE.

Relativamente à estrutura das explorações agrícolas, o inquérito de 2016 refere que a dimensão média das explorações agrícolas aumentou 0,3 hectares de Superfície Agrícola Utilizada (SAU) para 14,1 hectares (2,1%) e a Dimensão Económica por exploração (DE) cresceu 2,8 mil euros de Valor de Produção Padrão Total (VPPT) para 19,9 mil euros (16,5%).

O número de sociedades agrícolas aumentou 1,4 mil para 11,4 mil (14,3%) e os indicadores laborais relacionados com a produtividade e a eficiência do trabalho melhoraram, segundo o INE. No entanto, e apesar da evolução positiva da agricultura nacional, a produtividade média da mão-de-obra agrícola foi de 16,2 mil euros de VPPT por Unidade de Trabalho Ano (UTA) em 2016, menos de metade do valor médio da União Europeia em 2013.