Quantcast
Pecuaria

Doença de Marek coloca em risco bandos mundiais

Comissão Europeia aprova 32 M€ em apoios para produtores afetados pela gripe aviária

Cientistas do Roslin Institute, da Universidade de Edimburgo, na Escócia, estão a investigar a resistência à doença de Marek, uma doença neoplásica viral e altamente contagiosa em galinhas.

De acordo com a autora principal do estudo, Jaqueline Smith, “a doença de Marek é devastadora para os bandos mundiais, bem como para a economia, e a vacinação que existe só pode controlar a doença parcialmente”.

A mais recente descoberta mostra que há regiões genéticas em galinhas que estão associadas à resistência à doença. Jaqueline Smith revela que foram identificadas “regiões do genoma associadas à resistência que podem ser usadas para combater os efeitos do vírus, através da reprodução seletiva, do design melhorado das vacinas ou de futuras tecnologias de edição de genes”.

Os cientistas dizem que a descoberta, relatada na revista Genes, pode abrir caminho para novas terapias ou técnicas para controlar a doença, o que poderá custar à indústria avícola mundial mais de dois mil milhões de euros por ano. As descobertas revelam ainda detalhes sobre a vulnerabilidade em relação ao vírus, o que poderá levar à implementação de estratégias de criação seletiva mais específicas.

Os resultados desta pesquisa são os primeiros a fornecer uma análise em grande escala e em alta resolução dos genes associados à resistência ao vírus em aves importantes para a indústria avícola.

Uma vez que os tumores causados pelo vírus da doença de Marek têm semelhanças com o linfoma humano, os investigadores esperam também que as suas descobertas possam aumentar a compreensão deste cancro em humanos.​