Regadio

Primeiro-ministro quer setor agrícola preparado para as alterações climáticas

Governo aprova 55 projetos de regadio no valor de 278 M€

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu este fim de semana que o investimento no setor agrícola, nomeadamente no regadio, “é estratégico para o país”. De acordo com António Costa, estes investimentos permitirão ao país dar resposta “ao desafio imposto pelas alterações climáticas”.

“É um grande projeto estratégico para o país. São 500 milhões de investimento que vão permitir aumentar em mais 50mil hectares as áreas de regadio e modernizar mais 40 mil. Isto melhora a produtividade da nossa agricultura, mas também aumenta a capacidade de reserva e permite uma gestão mais eficiente da água”, defendeu o primeiro-ministro.

António Costa sublinhou ainda que Portugal “tem de estar preparado para prevenir os efeitos das alterações climáticas (…) Temos de continuar a investir, mas também tendo em conta que temos o desafio das alterações climáticas e, portanto, mais vale prevenir agora do que remediar depois.”

O Plano Nacional de Regadios, anunciado pelo Governo no final de 2017, deverá contar com um financiamento de cerca de 500 milhões de euros e prevê instalar, até ao final de 2022, 95 mil hectares de regadio, 54 mil hectares dos quais novos.

De acordo com o Ministério da Agricultura, “este programa terá um forte impacto económico direto”, devendo criar 10 mil postos de trabalho e um acréscimo de Valor Acrescentado Bruto (VAB) de 280 milhões de euros por ano, um aumento do saldo externo de 73 milhões de euros por ano e uma receita fiscal de 51 milhões de euros por ano na agroindústria e outras atividades a montante e a jusante da atividade agrícola.