Agricultura

Produtores de azeite suspendem colheita noturna mecanizada

Olivum recomenda suspensão voluntária da colheita mecanizada noturna de azeitona

A Olivum, CAP, CONFAGRI e Casa do Azeite selaram um acordo para a suspensão voluntária e temporária da colheita noturna mecanizada de azeitona com efeitos imediatos.

“O reconhecimento por parte das associações signatárias da necessidade desta recomendação prende-se com o potencial risco de impacto negativo na avifauna presente no olival”, referem em comunicado de imprensa conjunto.

As quatro associações consideram importante o aprofundamento de um estudo científico que permita conhecer com rigor e de forma detalhada os impactos da colheita noturna, bem como identificar as medidas e recomendações de salvaguarda da avifauna.

“O sector é o principal interessado em garantir a preservação dos ecossistemas locais e a salutar convivência entre agricultura e meio ambiente, uma vez que ambos coexistem de forma indissociável”, salienta Gonçalo Almeida Simões, diretor executivo da Olivum, Associação de Olivicultores do Sul.

“A Olivum sublinha a necessidade de extrema ponderação e reflexão sobre o tema sob pena de poder vir a ser colocada em causa a competitividade do azeite português no mercado internacional e a garantia da excelente qualidade do azeite produzido em Portugal, nomeadamente do azeite virgem extra”, afirma o diretor executivo da Olivum.

O sector da produção de azeite tem-se revelado de grande relevância para a economia nacional, nomeadamente através da sua vertente exportadora, resistindo à crise provocada pela covid-19 sem recurso a despedimentos ou lay-off.

Por sua vez, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) anunciou ontem, dia 6 de julho, que vai reforçar as ações de fiscalização durante os meses de outubro de 2020 a março de 2021, por forma a garantir que não será realizada qualquer prática que possa provocar a mortalidade de aves, nomeadamente a apanha noturna da azeitona, de acordo com notícia do jornal Público.

O ICNF alertou assim que a continuidade da prática da apanha mecânica noturna em olival será alvo de ação sancionatória nos termos da lei.

O ICNF salientou ainda que a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), a Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (Confragri), a Casa do Azeite e a Associação de Olivicultores do Sul (Olivum),  decidiram “suspender” a colheita noturna mecanizada da azeitona na próxima campanha, a iniciar em outubro, por estarem cientes da gravidade desta prática.

Em declarações prestadas ao Público, Gonçalo Almeida Simões, diretor executivo da Associação de Olivicultores do Sul, assumiu que a proibição não seria a ação mais aconselhável e destacou a disponibilidade dos produtores de azeitona para de “forma voluntária aceitarem suspender temporariamente” a colheita noturna.