Quantcast
Hortofrutícolas

Risco de ataque da mosca do Mediterrâneo elevado nos citrinos

Risco de ataque da mosca do Mediterrâneo elevado nos citrinos

A Estação de Avisos Agrícolas de Castelo Branco emitiu uma circular onde alerta para “um elevado risco de ataque” da mosca do Mediterrâneo (ceratitis capitata).

De acordo com a circular, as variedades de citrinos que têm os frutos a iniciar o período de maturação devem estar alerta para a mudança de cor, já que é a fase mais suscetível às picadas da mosca da fruta.

De acordo com a estação, são aconselhadas várias medidas para obter maior eficácia no combate à mosca do Mediterrâneo: utilizar armadilhas de captura em massa; destruir a fruta picada através do seu enterramento; e tratar também os hospedeiros alternativos e árvores isoladas, para evitar que se convertam em focos de multiplicação da praga.

banner APP

A Estação de Avisos Agrícolas de Castelo Branco alerta ainda para “um aumento do número de capturas nas armadilhas” de mosca da azeitona.

“A gafa é muito importante na nossa região, na medida em que a variedade galega, predominante nos olivais, é muito sensível a esta doença. Considerando o inóculo existente nos olivais e que o ataque da mosca da azeitona favorece a instalação do fungo, é importante que o olival esteja protegido contra esta doença. Assim, aconselha-se a realização de um tratamento preventivo, com um produto à base de cobre”, diz a circular.