Pecuária

UE toma medidas depois de novo foco de PSA na Eslováquia

UE toma medidas depois de novo foco de PSA na Eslováquia

A Eslováquia é o mais recente país europeu a detetar um foco de peste suína africana (PSA). Os Serviços Veterinários Oficiais da Eslováquia emitiram um aviso oficial, no dia 25 de julho, para o primeiro foco da doença numa pequena exploração em Strazne, distrito de Trebisov.

Segundo a publicação Animal’s Health, o caso surgiu a cerca de 500 metros da fronteira com a Hungria e a 20 quilómetros da fronteira com a Ucrânia, ambos países afetados pela PSA na Europa, tal como a Itália (onde existem focos da doença na ilha de Sardenha de forma endémica desde os anos 1970, segundo a publicação espanhola), Polónia, Bélgica, Letónia, Moldávia, Bulgária, Roménia e Rússia. Neste momento, são já 11 os países europeus com focos de PSA.

A zona em que surgiu o foco da doença já tinha sido considerada de risco pelas autoridades eslovacas. A exploração conta apenas com quatro animais, sendo que um manifestou sintomas da doença dois dias antes do aviso oficial das autoridades. As amostras foram enviadas no próprio dia, 23 de julho, para o Laboratório Nacional de Referência, onde foram confirmadas como positivas para PSA.

A União Europeia reagiu em força a mais este foco da doença na Europa. Ontem, dia 30 de julho, foi publicada no Jornal Oficial da União Europeia a Decisão de Execução (UE) 2019/1273 da Comissão de 26 de julho de 2019, que define medidas temporárias de proteção contra a PSA na Eslováquia. Entre estas está a delimitação de zonas de proteção e vigilância em redor do local do foco, que será levada a cabo pelo Governo eslovaco e estará em vigor até 30 de outubro deste ano.