produtores nacionais

Vendas da Sonae MC crescem 2% no primeiro trimestre do ano

Vendas da Sonae MC crescem 2% no primeiro trimestre do ano

As vendas da Sonae MC, área de retalho alimentar do grupo Sonae, aumentaram cerca de 2% para 787 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, enquanto a área de retalho especializado, a Sonae SR, registou um crescimento superior a 10%, para os 291 milhões de euros. No total, as vendas da Sonae aumentaram 4% para 1 126 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, crescimento que, de acordo com a empresa, foi impulsionado pela recuperação da confiança dos consumidores portugueses.

Paulo Azevedo, presidente executivo da Sonae, refere que no que diz respeito ao primeiro trimestre do ano, “as vendas de retalho acumuladas, incluindo o período da Páscoa cresceram 3,6% na Sonae MC e 13% na Sonae SR. Estes crescimentos são resultado de uma recuperação importante na confiança dos consumidores em Portugal e Espanha, de um reforço das nossas quotas de mercado e, no Continente também, de um forte investimento na nossa liderança de preço no mercado português através de mais e maiores promoções e uma forte redução de preços, em particular nos produtos frescos”.

Nos primeiros três meses do ano, a empresa conseguiu ainda obter lucros de 10 milhões de euros e a atividade internacional do grupo, que já opera em 60 países, cresceu 15%.

Sonae reforça compras a produtores nacionais

A Sonae reforçou a sua aposta na produção nacional durante o primeiro trimestre de 2014, com o volume total de compras a produtores nacionais na área dos perecíveis a aumentar 2% para 154 milhões de euros. 

Luís Moutinho, CEO da Sonae MC, refere que “a Sonae e o Continente continuam a trabalhar de perto com a produção nacional e a consolidar dia-após-dia as relações de longo prazo que estabelecem, sendo esta uma postura diferenciadora que tem permitido a muitas empresas agroalimentares e pequenos produtores desenvolverem a sua atividade com confiança. Acreditamos que a cooperação entre a produção e a distribuição é fundamental para o desenvolvimento de uma indústria agroalimentar competitiva e geradora de riqueza para todas as partes, pelo que vamos continuar a trabalhar para dinamizar a produção nacional, procurando promover a eficiência e inovação no setor”.

Nos primeiros três meses do ano, o Clube de Produtores Continente alargou o seu número de associados em 8% para 267 membros, que incluem produtores individuais, associações de produtores e cooperativas. Face a esta evolução, o Clube de Produtores Continente foi responsável por compras superiores a 57 milhões de euros.