Quantcast
Empreendedorismo Tecnológico

Os novos empreendedores tech apostam na agricultura

tecnologia agrícola WiseCrop

A agricultura está a atrair cada vez mais jovens empreendedores da área tecnológica, que apostam no desenvolvimento de soluções que permitem ao produtor monitorizar a sua exploração, fazer (quase) todas as tarefas via smartphone ou encontrar rapidamente produtos e informação sobre o setor. Mas há também quem facilite a ligação entre os pequenos agricultores e os clientes ou forneça veículos, movidos a energia limpa e versáteis para as várias operações culturais. A VIDA RURAL falou com algumas startups na área tecnológica e dá-lhe conta das novidades numa semana dedicada aos novos empreendedores tecnológicos.

WiseCrop: (quase) tudo em um

O WiseCrop é um sistema de apoio à decisão do agricultor, baseado numa tecnologia inovadora de envio de dados sem fios que os jovens Tiago Sá e Sandro Vale desenvolveram na universidade. “Olhámos para diversos setores, entre eles a agricultura, e criámos este produto sobre essa tecnologia”, conta Tiago Sá um dos administradores da WiseConnect.

A startup participou na etapa nacional, coordenada pela ANJE, do TechMatch Global e foi escolhida para a final internacional realizada em Bratislava, onde “estivemos durante uma semana a fazer contactos com investidores internacionais”.

O administrador explica à VIDA RURAL que o sistema baseia-se numa série de sensores que são instalados, podendo integrar qualquer tipo de sensor que exista no mercado, que dão informações como temperatura, humidade, velocidade e direção do vento, radiação solar, humidade do solo, entre outras, sendo disponibilizadas online desde o momento da instalação do sistema e podendo ser exportadas para tratamento posterior.

WiseCrop - vinha

Indicadores de risco

O WiseCrop integra também os dados de um serviço de previsão meteorológica já existente e com tudo isto, “o software disponibiliza ao agricultor uma Ferramenta de Indicadores, que inclui três tipos de indicadores”, refere Tiago Sá. Indicadores Bioclimáticos, como graus/dia, horas de frio, etc., que permitem estimar quando vai haver alterações fenológicas na planta, mas também Indicadores de Risco de doenças e pragas, baseados em modelos agronómicos, que dão uma indicação de probabilidade de ocorrência em quatro níveis – sem risco, risco baixo, risco médio ou risco alto; os indicadores incluem também modelos de aviso de geada, rajadas de vento e escaldão, que além dos dados medidos no campo, têm igualmente em conta as previsões meteorológicas. E, por último, “tem também um módulo de Indicadores de Persistência de Tratamentos, onde o agricultor regista os tratamentos que faz e, de forma gráfica, a ferramenta indica-lhe quantos dias faltam até que o produto perca efetividade”.

Além desta Ferramenta de Indicadores, o WiseCrop inclui igualmente um Sistema de Alertas, alguns automáticos e outros personalizáveis e uma Ferramenta de Rega que “como estamos a monitorizar a evapotranspiração, temos dados da humidade no solo e a previsão meteorológica, podemos calcular quanto deve regar para repor na planta a água que ela perdeu”, salienta o administrador.

O sistema pode também controlar remotamente o sistema de rega, até os já existentes nas explorações, “desde que o programador tenha um módulo GSM, conseguimos integrar”.

banner APP

Um tablet basta

Tiago Sá acrescenta que “o sistema tem também uma componente de ‘inteligência artificial’ que lhe permite, por exemplo controlar e manter as condições de um ambiente fechado, como uma estufa, mantendo a temperatura e humidade, de acordo com a infraestrutura disponível.

O WiseCrop inclui ainda uma Ferramenta de Fertilização, uma Ferramenta de Caderno de Campo e outra de Gestão de Tarefas.

WiseCrop_Rega - 700

“No caso da fertilização fazemos a ponte entre o técnico da exploração e o laboratório de análises, garantindo que são feitas as análises periódicas (programadas pelo produtor) ao solo, às folhas e água, e que o produtor recebe os resultados rapidamente, para que o técnico possa fazer/ajustar o cronograma nutricional”, explica, adiantando que “no caso do Caderno de Campo, a nossa ferramenta ajuda o produtor a preenchê-lo com todas as operações culturais, tratamentos, podas, etc., – estando preparado para Proteção Integrada, Produção Biológica e até certificação GlobalGap – para que no final da campanha seja só imprimir”. Já a ferramenta de Gestão de Tarefas, implica um tablet ou ecrã tátil, colocado num local onde todos os colaboradores, ou grupos de colaboradores, passem no final das suas tarefas e onde, de forma simples e rápida possam registar o que fizeram e quanto tempo levaram, “o que permite calcular o custo total de mão-de-obra de cada operador, o custo/hora ou o custo da parcela e quando o agricultor vender o seu produto, apurar o retorno por parcela ou por hectare”.

O administrador conclui que “todas as ferramentas podem ser comercializadas separadamente ou em packs. O WiseCrop é um sistema que permite a integração de várias ferramentas e soluções, podendo também vir a incluir informações de drones e satélites, entre outros serviços de outras empresas com quem possamos vir a trabalhar”, integrando tudo numa só plataforma. E a versão 2 do WiseCrop já está em desenvolvimento para ser lançada no segundo semestre de 2016.

Veja também:

My Farm: adote um agricultor

Agroop(ar) os custos na mão do agricultor