Quantcast
Vinha e Vinho

Exportações de vinhos portugueses aumentam 19,3% no primeiro semestre

As exportações dos vinhos portugueses aumentarem 19,3% em valor no primeiro semestre de 2021 em relação ao período homólogo.

As exportações dos vinhos portugueses aumentarem 19,3% em valor no primeiro semestre de 2021 em relação a igual período do ano passado, revela a ViniPortugal – Associação Interprofissional do Vinho. De acordo com os dados da associação, verificou-se, no mesmo período, uma subida de 4,2% no preço médio.

Em comunicado, a ViniPortugal considera que “estes valores confirmam o arranque positivo das exportações de vinhos nacionais em 2021, uma tendência já verificada desde o início do ano e representam ainda uma subida de 9,2%, em valor, em relação a 2019”.

Neste semestre, os Estados Unidos da América (EUA) e o Brasil são os principais destaques, com crescimentos próximos dos 10 milhões de euros em cada um deles. Para estes dois países as exportações aumentaram 22,2% e 42,3%, respetivamente. As exportações para terras norte-americanas totalizaram 54,7 milhões de euros e cerca de 32 milhões para o Brasil.

No entanto, França continua a ser o país para onde Portugal mais exporta os seus vinhos, tendo registado uma subida de 14,5%, totalizando 56,7 milhões de euros. Seguem-se os EUA, o Reino Unido (quase 33 milhões de euros e uma subida de 12,8% em relação ao período homólogo de 2020), o Brasil e a Alemanha (28 milhões de euros e um crescimento de 14,4%).

banner APP

Crescimentos noutros países

Com exceção de Angola, que apresentou uma queda de 12,2% face ao valor de 2020, todos os restantes mercados registaram crescimentos e muitos deles a dois dígitos. É o caso, por exemplo, da Bélgica, com 23,7 milhões de euros e uma subida de 10,4%, dos Países Baixos (23,5 milhões e +23,8%), da Suécia (quase 16 milhões e +11,9%), a Polónia (15,5 milhões e +36,6%), da Espanha (8,7 milhões e +36,6%), da China (7,6 milhões e +47,5%), a Dinamarca (7,6 milhões e +32,8%), da Rússia (5,6 milhões e +70,2%), da Ucrânia (1,5 milhões de euros e +22,5%) e do México (quase 600 mil euros e +66,3%).

A título de curiosidade, a ViniPortugal aponta o crescimento de 139,9% na Coreia do Sul, em valor, chegando aos 3,5 milhões de euros.

Frederico Falcão, presidente da Viniportugal, considera que estes valores “consolidam a posição dos vinhos portugueses no mundo e abrem boas perspetivas para o ano de 2021, com potenciais margens de crescimento relevantes em vários países que começam agora a descobrir os nossos produtos”.