Joaquim Quelhas dos Santos homenageado com Prémio Personalidade Armando Sevinate Pinto

Joaquim Quelhas dos Santos, professor catedrático jubilado pelo Instituto Superior de Agronomia, e nome grande da investigação e ensino agronómico nacional, foi homenageado com o Prémio Personalidade Armando Sevinate Pinto, no âmbito dos Prémios Vida Rural.
Com um longo trabalho na área da Fertilidade dos Solos, Joaquim Quelhas dos Santos recebeu o prémio das mãos de Inês Sevinate Pinto, filha de Armando Sevinate Pinto, que na ocasião referiu o importante papel de uma personalidade “que foi professor do meu pai e dos meus irmãos”.
No discurso de agradecimento, Joaquim Quelhas dos Santos recordou Armando Sevinate Pinto, que “merece ser recordado como alguém que, efetivamente, prestou altos serviços à agricultura portuguesa e que honrou a classe dos agrónomos portugueses. Em termos pessoais, recordo de modo particular um meu ex-aluno brilhante, um bom amigo e um colega que várias vezes me deu a grata oportunidade de com ele partilhar interessantes trocas de opiniões, em particular no que dizia respeito a problemas relacionados com o binómio Agricultura /Ambiente”.

OS VENCEDORES

Alfredo Cunhal Sendim, Esporão, CVR do Alentejo, APOSOLO e projeto Sparkle foram os galardoados nesta edição que tinha como mote a Sustentabilidade, alinhando com o tema do congresso AgroIn.
O prémio Agricultor que Marca foi para Alfredo Cunhal Sendim, da Herdade do Freixo do Meio, um pioneiro e uma referência na agroecologia em Portugal.
A Empresa que Marca foi o Esporão, uma empresa com um notável trabalho na gestão e integração dos seus ecossistemas, e que tem atualmente todas as suas vinhas em modo de produção biológico.
O prémio Investimento que Marca foi para o Plano de Sustentabilidade da Comissão Vitivinícola do Alentejo, uma entidade que investiu cerca de meia milhão de euros para promover um pioneiro plano de sustentabilidade para promover a adoção das melhores práticas em toda a cadeia de produção dos produtores que representa.

A Organização de Produtores que Marca foi a APOSOLO, uma entidade com um notável trabalho na área da agricultura de conservação.

Já a I&D que Marca foi para o projeto Sparkle_ Sustainable Precision Agriculture, um projeto internacional coordenado pela Universidade de Évora que junta universidades, empresas e agricultores e que pretende preparar empreendedores agrícolas com foco na agricultura de precisão e em práticas sustentáveis