Quantcast
Agricultura

Bloco de Esquerda quer “proteger uma agricultura de proximidade”

O Bloco de Esquerda apresentou esta segunda-feira (9 de maio), no arranque das suas jornadas parlamentares, três projetos de lei que se focam na produção agrícola nacional. De acordo com o partido, é preciso “proteger uma agricultura de proximidade” e combater o “trabalho forçado” de imigrantes nos campos agrícolas.

De acordo com o Expresso, durante as jornadas do partido, que arrancaram no Alentejo, onde está concentrada grande parte da produção agrícola nacional, Catarina Martins defendeu que a desigualdade que ainda existe no território nacional é fruto “da opção que tem sido imposta na política agrícola” e da “obediência cega a medidas que têm retirado capacidade produtiva ao país”.

Catarina Martins defende que “Portugal não pode ficar à espera da Europa para resolver os seus problemas” e, por isso, já deu entrada no Parlamento a duas propostas que têm como objetivo alterar alguns aspetos da agricultura nacional.

Um desses projetos de lei quer combater “o trabalho forçado” e “outras formas de abuso laboral”, atraindo, assim, mão-de-obra para o setor. O outro quer mais condições para os produtores locais, com uma proposta que visa tornar obrigatória a utilização de produção agrícola local nas cantinas públicas, nomeadamente escolas, autarquias, hospitais e estabelecimentos prisionais.

O objetivo, diz o Bloco, é “proteger o valor que é criado em cada região” e “proteger uma agricultura de proximidade”.