Quantcast
Regadio

Rega de precisão para produção intensiva de cortiça

APCOR abre centro que será ‘montra’ do setor da cortiça

O grupo Operacional Regacork está a investigar a possibilidade de antecipar a primeira tirada da cortiça através da fertirrega em sobreiros.

Liderado pela equipa de investigação Pró-FlorMed da Universidade de Évora e do MED (Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento), o REGACORK, grupo operacional envolvido no projeto de investigação em rega de precisão de sobreiros, foi apresentado no passado mês de fevereiro, em Avis.

Nuno de Almeida Ribeiro, docente na Universidade de Évora e coordenador do projeto, revelou que o objetivo do grupo é estudar a possibilidade de antecipar a primeira tirada de cortiça que acontece, nos povoamentos de sequeiro, entre os 18 e os 24 anos de vida da árvore. Isto é feito através do estudo do efeito da fertirrega na formação, produção e qualidade da cortiça em plantações intensivas de sobreiros, em áreas marginais, numa ótica de rega eficiente, dando à árvore apenas a quantidade de água necessária para o seu rápido desenvolvimento e formação de cortiça. “A transferência deste conhecimento técnico e científico, gerado neste grupo operacional, será alargado à instalação de novos povoamentos de sobreiros contribuindo para o combate à futura escassez da matéria-prima a médio prazo e fortalecendo os benefícios destes ecossistemas florestais que mantêm comunidades no interior do país”, avança o professor responsável pela investigação.

Francisco Carvalho, da Amorim Florestal SA e um dos parceiros líder do projeto, sublinhou a importância desta investigação afirmando que é necessário sensibilizar os produtores para avançarem com o regadio para que no futuro haja mais sobreirais a produzirem mais qualidade e quantidade de cortiça.

Existem vários ensaios piloto a serem monitorizados pela equipa de investigação da Universidade de Évora que, ao momento, já consegue concluir a boa correlação observada entre os tratamentos de rega e o crescimento do diâmetro do fuste dos sobreiros.

Joana Amorim, da Fruticor, gestora da herdade do Corunheiro onde está instalada uma área de seis hectares de sobreiros regados em profundidade, explica que a equipa de investigação da Universidade de Évora tem o controlo total deste ensaio piloto, o “REGASUBER”, tendo estado a testar, desde 2014 (resultado de outros projetos), várias combinações de fertirrega com o objetivo de chegar à fórmula ótima que combine a melhor rentabilidade do sobreiro versus economia de água para aquele tipo de solo.