Quantcast
Sustentabilidade

Financiamento europeu não contribuiu para redução das emissões de GEE na agricultura

O TCE revelou que o financiamento agrícola da UE destinado à ação climática não contribuiu para a redução das emissões de GEE da agricultura.

Um relatório especial do Tribunal de Contas Europeu (TCE) revelou que o financiamento agrícola da União Europeia (EU) destinado à ação climática não contribuiu para a redução das emissões de gases com efeito de estufa provenientes da agricultura.

Em comunicado, o TCE explica que, embora mais de um quarto de todas as despesas agrícolas da UE no período de 2014-2020 (mais de 100 mil milhões de euros) tenham sido afetadas às alterações climáticas, as emissões de gases com efeito de estufa provenientes da agricultura não diminuíram desde 2010.

Para a situação, contribui o facto de a maioria das medidas apoiadas pela política agrícola comum (PAC) ter um baixo potencial de atenuação das alterações climáticas e de a PAC não incentivar a aplicação de práticas respeitadoras do clima eficazes.

“O papel da UE na atenuação das alterações climáticas no setor agrícola é crucial, uma vez que a União estabelece normas ambientais e cofinancia a maior parte das despesas agrícolas dos Estados-Membros.”, afirmou o membro do TCE responsável pelo relatório, Viorel Ștefan.

“Apresentamos as nossas conclusões na expetativa de que sejam úteis para o objetivo da UE de atingir a neutralidade climática até 2050. A nova política agrícola comum deve centrar-se mais na redução das emissões provenientes da agricultura e ser mais responsável e transparente quanto ao seu contributo para a atenuação das alterações climáticas”, concluiu o responsável.

Pode ler o relatório completo aqui.