Quantcast
Agricultura

Aves de capoeira lideram crescimento de preços de produtos agrícolas no produtor

As aves de capoeira foram o produto agrícola cujo índice de preços mais cresceu em abril deste ano, face ao período homólogo.

As aves de capoeira foram o produto agrícola cujo índice de preços mais cresceu em abril deste ano, face ao período homólogo. O crescimento de 34,8%, foi seguido por um crescimento de 27,1% nos frutos e de 25,5% no azeite a granel, como informa o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas, relativo ao mês de maio de 2021, elaborado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A batata (+ 22,8%), as flores (+14,8%) e os ovinos e caprinos (12,8%) foram outros dos produtos agrícolas a crescer ao nível de preços.  Em comparação com o mês anterior (março), as maiores variações de preços agrícolas verificaram-se nos suínos e aves de capoeira (ambos com +11,4%), no azeite a granel (+7,8%) e nos hortícolas frescos (-7,6%).

 

Previsões Agrícolas

As campanhas do trigo, triticale, cevada e aveia são esperadas aumentar em 10%, face à campanha anterior, com base nas previsões agrícolas em 30 de abril. No centeio o rendimento unitário deverá manter-se próximo dos níveis alcançados no ano passado.

Quanto às culturas de primavera/verão:

 
  • No geral, a sua instalação foi frequentemente dificultada pela forte precipitação, o que causou atrasos nos terrenos com pior capacidade de drenagem;
  • No arroz é previsto que a área semeada fique 8% aquém da média do último quinquénio. Para esta situação contribui a manutenção das obras de reabilitação no Aproveitamento Hidroagrícola do Vale do Sado.  Estas obras, de acordo com o INE, continuaram a impedir a utilização de cerca de 3 mil hectares de canteiros;
  • No tomate para a indústria é apontado um aumento de 20% na área plantada, face à campanha anterior, com base nos dados da contratação entre a indústria transformadora e os produtores;
  • No girassol e na batata, as áreas deverão ser semelhantes às de 2020.

Nos pomares, o INE realça o início da colheita das variedades precoces de cereja. Espera-se que, após uma das piores campanhas das últimas três décadas, esta cultura deverá retomar níveis de produtividade acima das 3 toneladas por hectare. Para este fator contribuiu a polinização/vingamento que decorreu em condições meteorológicas favoráveis.

Gado, aves e coelhos abatidos

O peso limpo total de gado abatido e aprovado para consumo em março de 2021 aumentou 9,1% face ao período homólogo (+2,1% que em fevereiro), tendo sido alcançado as 45 171 toneladas.

banner APP

O maior volume de abate registado em todas as espécies foi o principal fator. Os equídeos (+500%), os caprinos (+350%) e os ovinos (+128,5%) foram as espécies com maior crescimento percentual. Os bovinos (+8,2%) e os suínos (+5,8%) também sofreram aumentos.

O peso limpo total de aves e coelhos abatidos e aprovados para consumo foi 31 055 toneladas, o que representou um acréscimo de 2,5% (-4,6% em fevereiro). Foi registado um maior volume de abate nas codornizes (+48,2%), nos perus (+17,0%) e nos galináceos (+0,7%).

Produção de aves e ovos

A quantidade de frango diminuiu 17,8%. A produção foi 22 038 toneladas (+0,5% em fevereiro), tendo registado um decréscimo de 18,8% em número de cabeças (-2,3% em fevereiro). A produção de ovos de galinha para consumo foi reduzida em 7,9% (-11,4% em fevereiro), não tendo ultrapassado as 9 739 toneladas.

Produção de leite e produtos lácteos

A recolha de leite de vaca foi de 169,5 mil toneladas correspondentes a um decréscimo de 1,5% (-3,4% em fevereiro).

O volume de produtos lácteos teve uma ligeira redução de 0,8% (-5,9% em fevereiro). Para a redução contribuiu sobretudo a menor produção de leite para consumo (-4,5%), tendo a manteiga e o leite em pó registado produções inferiores (-0,4% e -6,2%, respetivamente).