Alqueva

Agricultores do Baixo Alentejo satisfeitos com revisão do preço da água de Alqueva

Regantes pedem revisão da convenção luso-espanhola das bacias hidrográficas

A Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) emitiu esta quinta-feira (30 de março) um comunicado em que se mostra satisfeita com a redução dos preços da água no perímetro de rega de Alqueva. De acordo com a associação, a redução dos preços apresentada pelo Governo é “uma redução significativa, que poderá contribuir para aumentar a viabilidade do regadio do EFMA em geral e muito particularmente de algumas culturas mais exigentes em água”.

“Esta, tal como a gestão dos novos blocos de rega, são matérias que a FABA – Federação de Associações do Baixo Alentejo – há muito vinha abordando com o Ministério, pois tínhamos a convicção, de que, desde que houvesse vontade política, tal era possível, sem que a rentabilidade do empreendimento fosse posta em causa. Ficámos, portanto, satisfeitos com esta decisão do Senhor Ministro da Agricultura”, refere a FAABA numa nota enviada às redações.

A associação refere, no entanto, que “os preços a praticar pela EDIA às associações de regantes confinantes, que desde o ano passado necessitam de comprar água do Alqueva, embora com redução igualmente significativa, ficaram desequilibrados e desajustados da realidade, uma vez que a diferença de preços, relativamente aos regantes diretos desta empresa, é de apenas 0,002 euros/m3. Neste contexto, a revisão tarifária deveria ter em conta o facto de as associações de regantes não serem o utilizador final da água fornecida por Alqueva, pelo que consideramos que se justifica a definição de uma tarifa específica adequada. Já tivemos oportunidade de debater, pessoalmente, esta questão com o Senhor Ministro, que manifestou abertura para, num futuro próximo, com dados mais concretos, poder equacionar e rever este tema específico.”