Quantcast
Hortofrutícolas

Atraso na produção de pera rocha poderá ‘atirar’ colheita para o final de agosto

A produção de pera rocha está atrasada devido às instabilidades que se têm feito sentir no clima em Portugal. De acordo com a Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha (ANP), isto poderá implicar o adiamento da colheita para o final do mês de agosto, algo que já não acontecia há cerca de dez anos.

De acordo com o Presidente da Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha (ANP), “as condições climatéricas, com temperaturas amenas e períodos prolongados de chuva, trouxeram-nos situações anómalas e dificuldades na floração e nos vingamentos da fruta, o que fez com que a colheita, que começava por volta do dia 10 de agosto, seja iniciada na última semana de agosto.”

Segundo as estimativas da ANP, cujos associados são responsáveis por cerca de 85% da produção nacional de pera rocha, a produção deste ano deverá rondar as 140 mil toneladas, um aumento de 10% face à campanha anterior.

A procura por pera rocha nacional tem vindo a aumentar nos últimos anos. Na campanha de 2015-2016, foram produzidas 115 mil toneladas de pera rocha, 70 mil das quais foram exportadas para mercados como o Brasil (29 000), o Reino Unido (11 000), França (9 000), Marrocos (8 300) e Alemanha (4 300).

No início deste ano, Portugal e Colômbia assinaram um acordo bilateral que irá permitir exportar pera rocha nacional para o país da América do Sul.