Hortofrutícolas

Frutas portuguesas voltam a inspirar emissão filatélica dos CTT

Os CTT apresentaram esta semana uma segunda série de selos da emissão ‘Frutas de Portugal’. Nesta segunda edição, uma parceria com a Terra Projetos, é dado destaque a seis frutas de várias zonas do país – Algarve, Douro, Alcobaça, Oeste, Açores e Madeira.

O objetivo desta emissão filatélica dos CTT é não só promover o património português, como traçar um roteiro geográfico por Portugal, do Litoral ao Interior. Assim, ganham lugar de destaque nesta emissão a amêndoa do Douro, a maçã de Alcobaça, as uvas de mesa D. Maria típicas do Oeste e do Alentejo, o figo algarvio, a anona madeirense e o maracujá açoriano.

“É muito rica a herança portuguesa neste domínio, que se estende à generalidade dos produtos da terra. Este tipo de singularidade é frequentemente fruto de gerações de cultivo, sendo que a maior parte das frutas assume o nome da região ou localidade onde vingou, assumindo por vezes o nome de pessoas. Não é possível separar a história destas frutas da história do próprio País”, explicam os CTT em comunicado.

Em 2016, as frutas homenageadas foram a castanha de Trás-os-Montes, a cereja da Cova da Beira, a pera rocha do Oeste, os citrinos do Algarve, a banana da Madeira e o ananás dos Açores.

Esta emissão filatélica é composta por seis selos: dois selos (figo e uva) com uma tiragem de 125 000 exemplares cada e um valor facial de 0,47 euros cada; dois selos (amêndoa e maça) com um valor facial cada de 0,58 euros e uma tiragem de 110 000 exemplares cada um; um selo do maracujá dos Açores com uma tiragem de 135 000 exemplares e um valor facial de 0,75 euros e um selo com a anona da Madeira com uma tiragem de 115 000 exemplares e um valor facial de 0,80 euros.