Quantcast
Empreendedorismo Tecnológico

Agrozapp: facilitar o acesso aos fatores de produção

Agrozapp multiplataforma

O portal Agrozapp é o segundo produto destinado ao setor agrícola desenvolvido pela Impactwave, que presta serviços de consultoria digital, desenvolvendo soluções flexíveis e personalizadas para Internet e dispositivos móveis, que se adaptam às necessidades dos clientes.

O primeiro foi o Ultracarpo, criado em 2013 em conjunto com a Universidade de Coimbra, e trata-se de um sistema que permite medir, de uma forma não destrutiva, através de ultrassons, o estado de maturação de frutos. Este sistema funcionará com três componentes de base: um smartphone, uma sonda e uma aplicação. A sonda de ultrassons é acoplada ao smartphone e o conjunto é aproximado do fruto. Os dados recolhidos são processados pela aplicação.

 

O primeiro protótipo já está desenvolvido e encontra-se neste momento em fase de testes, “nos quais temos tido a colaboração de várias entidades nacionais e internacionais. Prevê-se que comece a ser comercializado dentro de cerca de um ano e meio”, afirma Ricardo Cardoso, CEO da empresa.

Quanto ao Agrozapp, o responsável explica-nos que “foi uma aposta nossa para conhecer melhor o mercado, verificar o grau de aceitação, medição de públicos e de perfis, criando e dinamizando uma comunidade, por isso é gratuito, sendo os fabricantes/distribuidores dos fitofármacos que ajudam a manter esta possibilidade”. O Agrozapp começou por permitir a consulta de produtos fitofarmacêuticos e adubos/fertilizantes e já alargou também o âmbito às sementes e produtos para a agricultura biológica, informando onde podem ser comprados. Os produtos podem ser pesquisados por nome comercial, substância ativa, cultura ou inimigo.

 banner APP

O Agrozapp baseia-se num sistema de pesquisa avançado que permite o cruzamento de vários dados em tempo real, está ajustado a diversos tipos e dispositivos, nomeadamente PC’s, tablets ou smartphones, e é composto por um website (com informações sobre a sua utilização e notícias) e por uma aplicação.

A aplicação “tem vindo a evoluir e hoje já temos pessoas a colocarem questões e recorremos a consultores agrónomos para dar as respostas”, refere Ricardo Cardoso.

O CEO avança que as próximas etapas incluem “o alargamento a outros produtos e a internacionalização. Já temos quase tudo adaptado para espanhol, sendo depois França a etapa seguinte a mais tarde toda a Europa. Mas também temos solicitações do Brasil” e acrescenta: “outra intenção é a integração com hardware, nomeadamente sensores, a serem instalados nas explorações, como já fazem algumas empresas no mercado, como a WiseCrop e a Agroop, mas o nosso foco é no software, pelo que estamos a abertos a parcerias”.