Sustentabilidade

Aquecimento da temperatura no Mediterrâneo será 20% mais rápido que no resto do mundo

Aquecimento da temperatura no Mediterrâneo será 20% mais rápido que no resto do mundo

Vamos ter mais ondas de calor e secas extremas com maior frequência. O retrato é traçado por Wolfgang Cramer, diretor científico do Instituto Mediterrâneo de Biodiversidade e Ecologia, que em entrevista ao El País revela que o aquecimento da temperatura no Mediterrâneo será cerca de 20% mais rápido do que a média do resto do planeta.

De acordo com o investigador, a bacia do Mediterrâneo será a região do globo em que os efeitos da crise climática se sentirão “com mais força”. O aumento da temperatura na região do Mediterrâneo já atingiu 1,5 graus em comparação com os níveis pré-industriais e, de acordo com Wolfgang Cramer, em 2040, esse aumento chegará a 2,2 graus e possivelmente excederá 3,8 em algumas regiões da bacia em 2100.

Portugal será um dos países mais afetados por este aumento, de acordo com o investigador: por todo o Norte do País, no Centro e parte do Sul Interior a temperatura subirá entre 2 a 3 graus e, na faixa costeira do Oeste e Sul, o aumento será entre 1,5 e 2 graus.

Ao nível da saúde e da segurança alimentar, Wolfgang Cramer prevê também grandes mudanças. “Espera-se que as doenças e mortes relacionadas com o calor sejam mais frequentes, especialmente nas cidades”, refere. O investigador diz ainda que a qualidade do ar, dos solos e da água se irá deteriorar, o que levará a um aumento de doenças respiratórias e cardiovasculares e a uma diminuição do acesso a alimentos saudáveis.